sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Abolicionismo X Bem-estarismo

O abolicionismo prega o fim de todo e qualquer abuso de animais. Eu, como vegana, sou pela filosofia abolicionista, mas comemoro sim qualquer pequena vitória. Como quando o Peta conseguiu fazer com que a monstruosa rede de fast-food KFC, começasse a vender burguers veganos em algumas de suas lojas no Canadá. Ou quando recentemente a Proposition 2 foi aprovada na California, obrigando por lei as fazendas-matadouros de lá a melhorarem as condições dos locais onde são mantidos vitelos, galinhas e as porcas em fase de gestação. As condições atuais são indecentes.

Todo mundo sabe que isso é quase nada em termos de resultados concretos. Não facilita a vida das milhares de aves que continuam a ser mutiladas e escaldadas vivas nos bastidores da KFC espalhados pelo mundo inteiro ou dos filhotes de bezerros que nunca verão a luz do dia nos matadouros da California (ou do resto do mundo).

Mas sim, eu comemoro essas pequenas vitórias, se não pelo fato de que as pessoas vão ouvir falar sobre o que o KFC faz de ruim, pela idéia de que redes de fast-food começam a oferecer opções veganas, pelo fato de que alguém está fazendo alguma coisa nesse mundo. O Peta ainda está tentando fazer com que o KFC adote certas regras que outras redes já acataram, como diminuir a quantidade de amônia no ar nas fábricas-matadouros, aumentar o espaço onde ficam as galinhas, prover estímulo físico e mental pra elas, etc.

Mas isso também tem um lado ruim. Propaga o bem-estarismo e isso influencia e confunde as pessoas. O bem-estarismo é um mito em que onívoros e ovo-lacto-vegetarianos ADORAM acreditar. Eu não os culpo. Eu já fui assim, também. Comprava meus ovos "de galinha caipira" ou "criados soltos" (os famosos cage-free ou free-range) e vinha pra casa feliz da vida, achando que as tais galinhas estavam sendo bem tratadas; estavam a salvo. Santa ingenuidade!

Deixa eu explicar direitinho: bem-estarismo não existe. Já pesquisei muito e vi videos (e ouvi ligações telefônicas gravadas) que comprovam que não há regulamentação ou supervisão suficientes e é um papo furadíssimo quando uma companhia diz que suas galinhas são "criadas soltas". Os machos que nascem continuam sendo triturados em moedores industriais ainda vivos e as galinhas continuam sendo tratadas como objetos inanimados, tendo seus membros quebrados e amputados o tempo todo.

Você ama de verdade os animais? Quer ajudá-los de verdade? Então, não caia nessa história de bem-estarismo. Pare de consumir QUALQUER produto animal. Essa é a única forma de ajudá-los. Os animais não têm voz. Eles estão neste exato momento em que você lê estas palavras, sendo monstruosamente torturados no mundo inteiro por seres que se dizem "humanos". Faça alguma coisa! Faça a sua parte. Seja vegano.

*Fotos: Pássaros, bezerros e porcas prenhes confinados. Animais vivendo no escuro e deitados no próprio excremento. Vidinha boa, não? E aí, você vai ficar só olhando ou vai fazer alguma coisa?

Go vegan!

5 comentários:

Glauce Lucas disse...

Ótimo texto, Andréa! E concordo 100%, bem-estarismo não existe.

Andréa N. disse...

Obrigada, Glauce! A gente tem que abrir o olho das pessoas porque essa indústria nojenta esconde tudo bem direitinho.

Glauce Lucas disse...

E olha que coisa boa: um ex-estagiário e amigo meu leu o seu blog todo e me disse que ele o está fazendo repensar várias coisas =D

ranuzia disse...

tb concordo com vc! temos que fazer alguma coisa: conscientização já
bjs

Andréa N. disse...

Ah, Glauce, que notícia boa! Você não sabe como isso me deixa feliz! É exatamente isso que eu pretendo com o blog. Obrigada!

Ranuzia: bom te ver por aqui!

Beijos pra vocês.

Posts similares

Related Posts with Thumbnails