sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Patê de nozes e cogumelos

Mais uma receita tirada inteirinha do livro Veganomicon. E o resultado ficou melhor do que eu esperava. Adoro patês!


Patê vegano de nozes e cogumelos
(rende bastante, umas 3 xícaras cheias):
  • 3 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 1 xícara de cebola picada
  • 3 dentes de alho (usei 6)
  • 1 colher (chá) de tomilho seco
  • 1 colher (chá) de estragão seco
  • 3/4 de colher (chá) de sal
  • Pimenta-do-reino moída
  • 500 gramas de cogumelo, picado (usamos cogumelos crimini)
  • 1 xícara de nozes
  • 3/4 de xícara de feijão branco cozido (usei 1 lata que tinha aqui em casa)
  • 1 colher (chá) de vinagre balsâmico
  • Mais ou menos 1/4 de xícara de caldo de vegetais
Aqueça 2 colheres de azeite numa frigideira grande em fogo médio. Adicione a cebola e salteie por 3 a 5 minutos, até que fique transparente, e então acrescente o alho, o tomilho, o estragão, sal e pimenta e cozinhe por mais um minuto. Coloque então o cogumelo e cozinhe tudo por 7 a 10 minutos, mexendo bem, até que fique bem macio- se for preciso, diminua o fogo pra que o cogumelo não queime enquando cozinha.

Enquanto isso, bata as nozes num processador até que fiquem bem picadinhas. Aí, junte a mistura de cogumelos no processador e acrescente o vinagre balsâmico, os feijões brancos e a colher de azeite de oliva que sobrou. Processe tudo até que fique macio, adicionando aos poucos o caldo de vegetais, de colherada em colherada. Continue processando a mistura até que fique consistente como uma pasta, um patê. Transfira para um pote bem fechado e deixe na geladeira por pelo menos uma hora, antes de servir - pra que os sabores se misturem.

Servimos sobre pequenas fatias de pão preto (pumpernickel). Boa pedida pra canapés numa festinha.

Happy vegan Friday!

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

O tal do Tempeh

Pronuncia-se tempê e é um alimento originário da Indonésia, fabricado através da fermentação de grãos de soja, mais ou menos como o tofu. O processo de fermentação varia um pouco e é utilizado o grão integral da soja, fazendo do tempeh, uma fonte mais completa de proteína, fibras e vitaminas do que o tofu, além de ter uma consistência mais firme e um sabor bem mais forte. O tofu, por ter um sabor mais sutil, acaba sendo mais versátil na criação de pratos veganos.

Também considerado mundialmente um substituto da carne, o tempeh faz parte da trindade famosa entre os veganos: tofu, seitan e tempeh.

Aqui ensina como preparar tempeh em casa (em inglês) e aqui você encontra receitas (em português) com tempeh.

A foto acima é um exemplo de prato preparado com tempeh à moda das costelas de porco. Só que nesse prato não vai sangue, tortura nem crueldade. A foto e a receita são do excelente blog Vegan Dad.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Fofas

O bolo do casamento da apresentadora e comediante Ellen DeGeneres com a atriz Portia de Rossi era 100% vegan.

Via Ecorazzi

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Batata recheada com chili

Esse prato é uma vedete aqui em casa. A gente não se cansa de preparar e ficar bobo com o resultado. Como é que algo tão simples pode ficar tão gostoso?

Lave e escove bem a batata. Deixe a casca. Pré-aqueça o forno a 400 graus Farenheit (uns 200 Celsius). Faça furos na batata com um garfo umas 8 vezes e envolva-a em papel alumínio. Deixe-a no forno por mais ou menos uma hora, até que esteja macia quando perfurada com o garfo. Quando estiver pronta, retire o papel e deixe esfriar. O recheio fica por sua conta e criatividade. Nós usamos dessa vez chili vegano apimentado em lata (da marca Health Valley) e polvilhamos "queijo" ralado vegano (que obviamente não é feito de queijo). Servimos a baked potato com couve crespa e pimentão vermelho salteados no azeite.

Uma ótima (e deliciosa) semana pra você!

domingo, 24 de agosto de 2008

Mais um prêmio pro blog!



A querida Carla ofereceu mais um prêmio delícia pro brazil nut! E pra quem adora colecionar canecas, como esta que vos escreve, esse prêmio é uma honra e uma graça. :)

Obrigada, Carla!

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Comida chinesa (vegana) delivery

Essa vale como dica pra quem está na transição, deixando aos poucos de comer carne e laticínios. Peça comida chinesa no seu restaurante favorito, mas sem ovos. A gente aqui em casa, por exemplo, gosta muito desse prato chinês simples e delicioso: vegetable mei fun (macarrão de arroz com legumes), mas pedimos com tofu frito (no azeite) em vez de ovos. Vagem preparada com molho de alho e veggie dumplings cozidos no vapor também são uma delícia e dão um excelente combo. Hmmm... fico com água na boca só de pensar.

Happy (vegan) Friday!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Com a palavra, Sir Paul

Segue uma entrevista com Paul McCartney sobre o impacto positivo do vegetarianismo sobre o meio ambiente:

1) Qual você acha que é a mudança mais pessoal que uma pessoa pode fazer em seu próprio estilo de vida pra ajudar o meio ambiente? Algumas pessoas acham que reciclar e tomar banhos mais curtos já basta. O que você acrescentaria?

Eu acho que a maior mudança que alguém pode fazer em seu estilo de vida é tornar-se vegetariano. Embora isso pareça uma resposta estranha, a indústria mundial da carne, e a enorme quantidade de água e terras que ela demanda, é um dos maiores contribuintes para o aquecimento global. Esse fato surpreendente veio à tona há poucos anos, através de pesquisas. Então, eu pediria que todo mundo pensasse em tomar essa simples atitude pra ajudar o nosso precioso meio ambiente e salvá-lo para as crianças no futuro.

2) O que você acha do fato de que a maioria das grandes organizações ambientalistas e os maiores defensores ambientais têm omitido o vegetarianismo em suas listas de coisas mais importantes pra ajudar a diminuir o aquecimento global?

Eu fico surpreso com isso. Claro que há muitas indústrias poderosas que querem resistir a essa idéia, mas está ficando cada vez mais claro que uma simples mudança no estilo de vida das pessoas faria uma diferença enorme no nosso ambiente. O que é interessante é que hoje em dia é tão fácil tornar-se vegetariano e tantas pessoas já estão reduzindo a carne em suas dietas. Esse é um passo simples, mas extremamente eficaz que muita gente poderia dar para ajudar o meio ambiente e melhorar sua própria saúde ao mesmo tempo.

3) Como você se sente com o desaparecimento de pássaros, de outros animais selvagens e de locais naturais no mundo todo?

É uma pena que a vida selvagem e locais naturais desse lindo planeta em que nós vivemos estejam sendo destruídos pela industrialização inconseqüente. Esse absurdo pode ser interrompido e há sinais de esperança de que as pessoas começam a perceber que isso precisa ser feito para assegurarmos um futuro melhor para as crianças.

4) O que você acha que é a melhor atitude que uma pessoa pode tomar, se ela se preocupa com a pesca excessiva, a poluição marinha e a devastação do fundo dos oceanos?

Infelizmente muita gente parece pensar que vegetarianos comem peixe, o que não é verdade e quando você pensa na pesca excessiva, na poluição marinha e no enorme estrago aos nossos preciosos oceanos que são causados pela pesca comercial, fica óbvio que um estilo de vida vegetariano melhoraria muito o nosso ambiente e ajudaria a salvar os nossos oceanos. O que é incrível é que mesmo que muitos de nós, incluindo eu mesmo, tenhamos sido criados tradicionalmente comendo carne e peixe, é uma coisa simples hoje em dia, e ao mesmo tempo divertida, resolver mudar sua dieta para uma mais saudável e que não só traz benefícios para a pessoa que a segue, mas também para o planeta como um todo.

Via Fish and Chimps (o blog do PETA na Europa). A tradução é minha.

Go vegan!

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Hambúrguer vegano caseiro

Eu sempre quis fazer hambúrguer vegano em casa, apesar de ser fácil de encontrar pronto, congelado. Tinha tentado algumas vezes sem sucesso: ou acabava ficando muito mole e quebradiço, ou muito seco depois de frito ou assado. Até que finalmente encontrei uma receita ótima no Vegan Planet, da Robin Robertson. O livro traz 400 receitas fáceis de comidinhas veganas e é uma mão na roda na nossa cozinha. Essa receita chama-se The Ultimate Vegan Burgers.

  • 1 colher (sopa) de semente de linhaça em pó
  • 2 colheres (sopa) de molho de soja
  • 1/2 xícara de nozes
  • 3/4 de xícara de lentilhas cozidas
  • 1/4 de xícara de cebola ralada (ou picada)
  • 1 colher (sopa) de salsinha fresca picada
  • 1/3 de xícara de farinha de glúten (a gente usa vital wheat gluten)
  • 1/2 colher (chá) de molho inglês (veja nos ingredientes se o molho é vegano. A gente usou a marca Gravy Master)
  • Sal e pimenta-do-reino
  • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva

1. Misture muito bem numa tigela pequena, o pó de linhaça e o molho de soja. Separe.
2. Num processador, pique as nozes. Adicione a lentilha, cebola, salsinha, farinha de glúten, molho inglês, a mistura de linhaça + molho de soja, sal e pimenta a gosto. Misture tudo no processador, mas não completamente. Deixe uma certa textura. Com as mãos, faça dessa mistura 4 hambúrguers e ponha-os num prato. Leve à geladeira por 30 minutos.
3. Aqueça o azeite numa frigideira grande e frite os hambúrguers até dourá-los (uns 4 minutos de cada lado). Sirva quentes. (Eu os fiz menores e a porção acabou rendendo 6).


Sirva-os como você preferir. Nas duas primeiras fotos, combinamos com uma saladinha de pepino fresco e misturamos o que sobrou das lentilhas a uma porção de arroz integral. Na foto acima, um genuíno sanduíche de hamburguer vegano: servido no pão original com pepino, alface crespa e cebola, e pra acompanhar: cenoura + repolho crus, picados (íamos preparar cole slaw, mas ficamos com preguiça) e batatas fritas.

Não há nada que supere um prato de comida DELICIOSO feito completamente sem ingredientes animais. Todo mundo sai ganhando, os queridos animais e você e sua saúde.

sábado, 16 de agosto de 2008

Responda nos comentários

Quando se escreve um blog, fala-se muito de si mesmo. Dessa vez eu gostaria de saber um pouquinho sobre você que vem aqui me ler. Se puder (e quiser), responda a este mini-questionário vegano ali embaixo, nos comentários. Obrigada!

1. fruta favorita
2. vegetal favorito
3. verdura que você deveria comer mais
4. grão favorito
5. tempero favorito
6. grão que você nunca come, mas gosta
7. tempero que você mais costuma usar
8. tofu, seitan ou tempeh?
9. condimento favorito
10. refeição favorita

Minhas respostas:
1. cereja
2. cogumelo (qualquer tipo)
3. espinafre
4. milho (mas adoro feijão preto na mesma proporção)
5. pimenta-malagueta
6. fava
7. curry
8. seitan
9. vegenaise
10. sushi vegano

E falando em milho, acabamos de comprar 10 espigas de milho no Farmers Market aqui perto de casa, por uma bagatela. Milho verde orgânico produzido e vendido pelos próprios agricultores da região. E que delícia! Uma das (poucas) coisas boas do verão. :)


Via Happy Herbivore

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

O tal do Seitan

Seitan é um dos nossos ingredientes favoritos. Pronuncia-se "sei-tãn". Ele funciona, à primeira vista, como um substituto pra carne, mas é muito mais que isso. Seitan é super versátil e faz parte da "santíssima" trindade vegana: tofu, seitan e tempeh (pronuncia-se "tem-pê").

Mas voltando ao seitan, como não é feito de soja e sim de glúten, ele tem um sabor leve e combina fácil com qualquer molho que você queira. Então, já sabe, quando quiser variar um pouco ou não usar tofu, mande brasa no seitan. Transforme-se, como eu, num "seitan worshipper", hehe. Ele tem uma textura super "mastigável", então se você quer veganizar uma receita que levaria, por exemplo, frango, o seitan é o ingrediente perfeito.

Se você tem alergia a glúten, esqueça tudo o que eu acabo de dizer, já que seitan é puro glúten. Se você tem alergia a soja, então caia de boca no seitan! :) Ele é fácil de encontrar pré-cozido por aí, mas se você quiser fazer em casa, a receita que a gente usa é a do livro Veganomicon, chamada "Simple Seitan". O tempo de cozimento é de mais ou menos 1 hora e meia.

Receita simples de Seitan:

1 xícara de farinha de glúten; 3 colheres (sopa) de levedura nutricional (aqui: nutritional yeast); 1/2 xícara de caldo de vegetais frio; 1/4 de xícara de molho de soja (pode ser Shoyu ou Tamari); 1 colher (sopa) de azeite de oliva; 2 dentes de alho prensados ou ralados.

Para o molho: 8 xícaras de água fria + 3 cubos de caldo de vegetais (ou 4 xícaras de caldo + 4 xícaras de água); 1/4 de xícara de molho de soja.

Misture a farinha de glúten e a levedura nutricional numa tigela grande. Numa tigela menor, misture o caldo de vegetais, molho de soja, azeite e alho. Ponha a mistura líquida junto com a seca e misture tudo com uma colher de pau até que fique consistente. Amasse bem essa "massa" com as mãos por uns 3 minutos, até que fique elástica. Divida com uma faca em 3 pedaços iguais e então trabalhe cada pedaço com as mãos, esticando-os.

Prepare o molho: Encha uma panela grande com água, os cubos de caldo vegetal e o molho de soja e adicione os 3 pedaços de glúten integral. Cubra e deixe ferver, mas fique de olho: não deixe ferver por muito tempo senão o seitan fica esponjoso demais. Assim que começar a ferver, baixe o fogo até o mínimo e deixe cozinhar assim, com a tampa da panela semi-fechada, por 1 hora. De vez em quando, vire o seitan. Desligue o fogo e deixe por 15 minutos. Remova o seitan da panela e deixe-o num escorredor enquanto esfria. Agora está pronto pra ser fatiado, picado ou feito do jeito que você quiser. Se você não for usar todo o seitan, guarde-o na geladeira, num pote bem fechado com o molho.

Seitan pode virar picadinho, sopa, sanduíche, churrasco... A comida preparada por R nas duas fotos deste post é a seguinte: seitan em pedaços, tofu cortado em cubos, cebola, espinafre e aipo fatiado - tudo salteado em azeite de oliva. Servimos com cuscuz marroquino (primeira foto). Hmm... I-heart-seitan!

sábado, 9 de agosto de 2008

Comidinha vegana "to go"

Tem um supermercado no caminho pro meu trabalho que nem é especializado em nenhum tipo de comida. É até um mercado bem comum, mas uma coisa ele tem de especial. Olha só as comidinhas prontas, todas veganas. Não é demais? Claro que lá também vende comida pronta feita de carne, frango, etc., mas tem um cantinho onde vende comida árabe, tipo hummus e grape leaves (charutos de folhas de uva recheados de arroz integral) e todas essa delícias veganas da foto acima.

Tem sushi, pad thai, dumplings, barbecue tofu, edamame, salada de algas... tudo com um preço razoável. Quando eu não levo comida de casa, é só passar ali e escolher o que eu vou almoçar no trabalho. Tudo é feito com muito capricho, localmente, e é sempre gostoso. É isso o que eu queria que fosse mais viável no Brasil. Se as pessoas tivessem mais acesso às comidinhas veganas, elas certamente experimentariam e acabariam percebendo que levar uma dieta assim é moleza.


E se não há nada desse tipo por perto de onde você mora ou trabalha, porque não começa você mesmo a preparar e vender delícias feitas de compaixão? Eu até fiquei tentada a começar meu próprio negócio. Só não tenho muito jeito pra cozinha (quem tem é o marido e ele já tem sua profissão) e menos ainda pra negócios. :)

*Fotos tiradas no supermercado Morton Williams.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Um livro de receitas cruas e o melhor "queijo parmesão ralado"


Ando lendo sobre comidinhas cruas- aqui chamadas de "raw" ou também "living foods". O que me interessa é só a parte vegana, claro. Aí, uma cara amiga me deu de presente um livro maravilhoso chamado "I am Grateful", cheio de receitas e dicas fantásticas dos proprietários dos restaurantes Café Gratitude. Como eu ainda não tenho um desidratador, que é uma maquininha bacana que ajuda a preparar pratos crus, comecei fazendo uma das receitas do livro que é bem simples e qualquer um pode fazer. E é uma idéia genial.

A castanha-do-Pará, minha querida "brazil nut", é a vedete dessa receita, que no livro chama-se "I Am Focused" - Brazil Nut Parmesan Cheese, e é isso mesmo, um substituto natural e delicioso para o queijo parmesão ralado.

Ingredientes: 1 xícara de castanhas-do-Pará; 1 colher (chá) de *alho picado; 1/3 colher (chá) de sal.

Bata tudo no processador com a lâmina "S" até que fique como na foto- parecendo queijo ralado. Use como guarnição no que você quiser. Desta vez, polvilhamos por cima de uma massa integral (tipo farfale) deliciosa, misturada a legumes salteados em azeite (cenoura, brócoli e cogumelo) e pedacinhos de lingüiça de soja.

O livro também diz que castanhas-do-Pará são ricas em selênio, um mineral essencial que age como potente antioxidante no nosso organismo. E vamos combinar que são DELICIOSAS, né?!

*Descobri que não tinha alho em casa, então piquei uma colher (sopa) de cebolinha fresca. Ficou divino!

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Patê de grão-de-bico*

Receitinha requentada do outro blog...

Já vi alguns sites chamarem essa receita de patê de atum fake, porque o sabor fica mesmo parecido. Aproveitei pra fazer porque tinha todos os ingredientes aqui em casa. A princípio não acreditei que o resultado fosse ficar tão bom. Ficou como meu pai chama: "da pontinha da orelha" e é MUITO fácil. Clique nas fotos pra ampliá-las.



Ingredientes:

1 lata de grãos-de-bico, (passe-os na água e escorra bem antes de começar)
3 a 4 colheres (sopa) de Vegenaise (maionese vegana)**
2 colheres (sopa) de suco de limão
1 colher (chá) de mostarda
1 colher (sopa) de levedura nutricional (Nutritional Yeast)***
1/2 colher (chá) de páprica (pode ser doce, picante ou defumada)
1/2 colher (chá) de sal
pimenta à gosto



Amasse e misture todos os ingredientes, mas não muito- deixe a mistura meio grossa. Leve à geladeira ou sirva imediatamente.



*Encontrei essa receita num blog que eu adoro: Vegan Yum Yum.

**Eu tinha experimentado uma outra marca de maionese vegana (Nayonaise) e achei horrível. Ainda bem que antes de desistir, tentei outra. Vegenaise é uma delícia.

***Levedura nutricional ou "Nutritional Yeast" não tem nada a ver com o "yeast" daqui, que significa fermento (aquele de bolo). A levedura nutricional é vendida numa embalagem parecida com a de queijo ralado e é rica em vitaminas e minerais. É um suplemento importante para as dietas veganas, por ser rico em vitamina B12 e usado muito em substituição ao queijo, pois deixa o prato mais cremoso. Eu polvilho em qualquer receita salgada que faço. Sem problemas. Na Wikipedia, a explicação em inglês.

domingo, 3 de agosto de 2008

Pense nisso...

"Se todos os americanos deixassem de comer carne por um dia na semana, deixariam de emitir 99.6 megatoneladas de gases do efeito estufa. Só isso já economizaria 46 milhões de vôos de Nova York a Los Angeles e de Los Angeles a Nova York".

"Se todos os americanos deixassem de comer carne por 3 dias na semana, deixariam de emitir quase 300 megatoneladas de gases do efeito estufa. O impacto que isso teria no clima seria maior do que substituir TODOS os carros dos EUA por modelos Toyota Prius (considerados mais 'ecológicos')".

"Se todos os americanos deixassem de comer carne por 5 dias na semana, evitariam a emissão de 498 megatoneladas de gases do efeito estufa. Essa economia de carbono seria equivalente a plantarmos 13 bilhões de árvores e deixarmos que elas cresçam por 10 anos. Seriam 43 árvores para cada americano!"

"Se cada pessoa nos Estados Unidos se alimentasse de uma dieta vegetariana por 7 dias, evitaria a emissão de mais ou menos 700 megatoneladas de gases do efeito estufa. O resultado seria o mesmo que remover TODOS os carros das estradas e ruas dos EUA".


Via Elaine Vigneault. Tradução minha.

Leia mais aqui.

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Holly guacamole!

Quando experimentei guacamole pela primeira vez, aqui nos EUA, fiquei encantada com esse prato mexicano salgadinho, já que no Brasil tudo o que eu havia comido com abacate era sempre doce. Eu prefiro salgados, então não era muito chegada em abacate. Hoje eu ADORO e vira e mexe uso na salada, também.

Aqui vai a nossa receita, que é simplérrima:

* 2 avocados (mini-abacate) - mas você pode usar qualquer tipo de abacate
* 1/4 de xícara de cebola picada
* 1/4 de colher (chá) de alho em pó
* sal a gosto
* suco de 1 limão
* 1 tomate picado
* 1/2 xícara de coentro fresco picado

Descasque os avocados e descarte a semente do meio. Corte-os em pedaços pequenos. Esta página ensina como descascar e cortar perfeitamente um abacate. As instruções estão em inglês, mas pelas fotos dá pra entender direitinho como fazer.

Ponha todos os ingredientes numa tigela e misture tudo muito bem com um garfo. Pronto!

Sirva como você quiser. Pode ser acompanhamento pra saladas ou aperitivo (foto). No sanduíche também fica ótimo.

Não esqueça da tequila! :) Jose Cuervo é vegan-friendly!

Posts similares

Related Posts with Thumbnails