segunda-feira, 30 de março de 2009

Spaghetti ao molho branco

A Fe tinha perguntado sobre molho branco vegano e eu achei essa receita no blog VegCooking pra passar pra ela. Aí fiquei aguada e resolvi testar. E não é que é boa mesmo?! E super light.

Molho Branco Alfredo - versão vegana


1/4 de xícara de margarina vegana
2 dentes de alho, picados (nós usamos uns 5)
2 xícaras de feijão branco cozido, drenado
1 xícara e 1/2 de leite de soja (plain, sabor original)
Sal e pimenta à gosto
Salsinha fresca

• Num frigideira, em fogo baixo, derreta a margarina. Adicione o alho e deixe cozinhar por uns 2 ou 3 minutos.

• Transfira essa misturinha para um liquidificador ou processador, adicione os feijões brancos e 1 xícara de leite de soja. Bata até ficar tudo macio e uniforme. Se o molho estiver muito grosso, adicione o restante do leite de soja até que a consistência fique do jeito que você gosta.

• Transfira o molho de volta pra frigideira, em fogo baixo, adicione o sal e a pimenta, e as ervas frescas que você quiser, picadas - nesse caso usamos salsinha. Cozinhe mexendo devagarinho até que o molho esquente. Servimos com azeitonas pretas picadas, por cima. Mamma mia!

Via VegCooking blog

sábado, 28 de março de 2009

Earth Hour 2009 - É hoje!!

Tudo o que você precisa fazer é desligar as luzes (e todos os aparelhos elétricos que puder) na sua casa, às 8:30 da noite, horário onde você está no mundo. Invente alguma coisa divertida pra fazer. Pode ser aquilo mesmo que você está pensando, ou um jantar à luz de velas, uma brincadeira com a família, um passeio pelas ruas da vizinhança alertando as pessoas que você conhece a fazerem o mesmo...

Clique aqui pra registrar o seu endereço no planeta e participar desse movimento tão bacana.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Quer dar uma olhadinha no nosso...

...jantar de Thanksgiving? :) Aqui está. Eu tinha esquecido completamente de escrever sobre isso e achei que já tinha passado muito tempo pra criar um post sobre o assunto (foi em Novembro passado). Mas dando uma olhada na foto esses dias, achei que valia pelo menos uma menção. Peru de tofu preparado no forno com legumes, purê de batatas, e vagem com molho de tahini, amêndoas e pistaches. Clique na foto pra ficar com água na boca. :)

E Happy (vegan) Friday!

quinta-feira, 26 de março de 2009

Mais um questionário sobre comidinhas

Achei no blog da Melissa (faz um tempão) - que viu no blog Food Snobbery is my Hobbery.

Traduzi para o nosso portuga e mais uma vez, editei, cortei umas perguntinhas aqui e ali, acrescentei outras acolá, e aqui está:

1. Leite vegetal favorito?
Rice Dream (de arroz) ou Silk (de soja). Sabor original (foto), SEMPRE.

2. Quais os "top 3" pratos que você está planejando preparar?
Spaghetti ao molho branco, "Hamburgers" de feijão preto (Veganomicon) e sushi

3. Tempero favorito pra pipoca?
Um pouquinho de margarina Soy Garden" e muito sal

4. Prato ou receita que terminou no maior desastre?
Sushi com o arroz do lado de fora- ainda não consegui aprender a enrolar...

5. Sonho de consumo
Comprar um desidratador pra poder preparar mais pratos crus

6. Como você organiza suas receitas?
A gente tem uns livros de receitas e R mantém uma pasta com receitas, idéias e truques interessantes que a gente vê por aí nas internetz e imprime. :P

7. Vício bom
Couve-de-Bruxelas

8. Se você ficasse isolada numa ilha e só pudesse levar 3 tipos de alimentos (sem se preocupar em como cozinhá-los)...quais seriam?
macarrão, tofu e arroz

9. Que prato vegano você comeu recentemente e achou o máximo?
A lingüiça vegana do meu marido, haha!

10. Sorvete vegano favorito?
Blueberry ou Strawberry cheesecake da marca Tofutti - um escândalo.

11. Maquininha favorita na cozinha?
Cafeteira elétrica

12. Erva ou especiaria que não dá pra viver sem?
Manjericão

13. Livro de culinária vegana mais antigo?
Acho que é um de sucos, que eu já tinha no Brasil faz uns 15 anos.

14. Geléia favorita?
Orgânica de Blueberry

15. Receita favorita pra fazer pra um amigo onívoro?
Feijoada vegana ou Risoto.

16. Seitan, tofu, ou tempeh?
Seitan

17. Refeição favorita pra cozinhar (ou hora do dia)?
Jantar

18. O que há em cima da sua geladeira?
Tábuas diversas (de madeira, de plástico, de pedra pra pizza)

19. Diga 3 itens do seu congelador, sem olhar.
Pó de café, sorvete e veggie burgers

20. O que vai na sua lista de supermercado?
Muito tofu e verduras frescas

21. Supermercado favorito?
WholeFoods

22. Diga uma receita que você adoraria veganizar, mas ainda não o fez?
A torta salgada da minha tia Helena

23. Blog de comidas que voce mais lê. Ou os top 3?
Vegan Ronin
Vegan Crunk
Vegan Dad

24. Chocolate ou doce vegano favorito?
Lära bars e os chocolates da Jhenn

25. Que prato você preparou mais recentemente?
Os nuggets do bem, ontem a noite.

------

Responda sobre as suas preferências veganas no seu blog ou aqui nos comentários, pra gente poder ler também!

terça-feira, 24 de março de 2009

Queijo de castanhas - receita crua

Esse queijo cremoso vegano é facílimo de fazer, delicioso e saudável: 0% de colesterol. E você pode servir de várias formas diferentes.

Ingredientes
  • 2 xícaras de castanhas (Eu usei desta vez macadâmias e castanhas de cajú - 1 xícara de cada)
  • 2 colheres e 1/2 (sopa) de sumo de limão
  • 3 dentes de alho picados
  • 1 colher (chá) de sal marinho
  • 1/2 xícara de uma erva fresca picada (nesta receita usei dill - em português: aneto ou endro - mas salsinha ou manjericão também ficam ótimos)
  • 1/2 xícara de água
Preparo

Coloque tudo, menos a água, no processador com a lâmina S, e comece a bater. Vá adicionando a água devagarinho até virar uma mistura cremosa, macia, não muito líquida. Pronto!

Essa receita de queijo é 100% vegana e ótima pra quem não pode ingerir soja, trigo ou glúten. Além disso ela é super versátil - pode virar um sanduíche ou wrap (foto abaixo), recheio de lasagna, molho pra saladas, ou em canapés (aqui servidos com tomate e brotos de alfafa sobre torradinhas), e pode simplesmente virar um molho cremoso, assim como o hummus, pra mergulhar cenouras cruas ou aipo. Invente o que você quiser!

Queijo do bem. :)

domingo, 22 de março de 2009

Earth Hour 2009

Mais uma vez o Earth Hour convida a todos a desligar luzes (e tudo o que for elétrico) em casa durante 1 hora no dia 28. A diferença que isso faz no consumo de energia mundial é grande, mas também o prazer de participar de um movimento tão legal é 'priceless'.

Esse ano, o movimento ganhou duas garotas-propaganda: Alanis Morissette and Janeane Garofalo. O video, abaixo, com a Alanis Morissette é hilário (e nojento). O tema é "The Big Turn-off", que brinca com a expressão "turn-off" que na gíria significa ser um "corta-barato", ao mesmo tempo em que significa, em inglês, desligar tudo (os aparelhos elétricos e luzes).



Clique aqui pra ver o video da Janeane Garofalo e suas axilas peludíssimas (igualmente hilário). E não deixe de participar do Earth Hour! É no próximo sábado, dia 28, as 8:30 da noite no mundo inteiro.

Via Ecorazzi

sexta-feira, 20 de março de 2009

Pra dar água na boca...

Aqui vai um incentivo pra você comer coisinhas veggies bem gostosas no dia de hoje: Dia Mundial Sem Carne.


Todos os pratos mostrados acima são 100% veganos. Delícias que fizemos em casa ou comemos fora. NADA contém carne, ovos, leite, manteiga, queijo, açúcar branco, colesterol ou gordura ruim.

Go vegan! E Happy Friday!

quinta-feira, 19 de março de 2009

20 de Março - Dia Mundial Sem Carne

Experimente uma dieta livre de dor e sofrimento, ou seja, livre de ingredientes animais, por pelo menos um dia. Você vai fazer uma diferença enorme no meio-ambiente, salvar vidas e vai se sentir super saudável. Que tal topar o desafio bem no dia 20 de março? Depois me conte como foi.

Um mundo melhor começa por você! Go vegan!

Via ECO-CONSCIÊNCIA

terça-feira, 17 de março de 2009

Como fazer linguiça vegana

Finalmente! Prometi aqui no blog faz um tempão testar uma receita de linguiça vegana e postar o passo-a-passo... Obrigada pela paciência!

Eu tinha visto a receita no blog Vegan Dad há muito tempo, que por sua vez, tinha visto a receita no blog Post Punk Kitchen (de uma das autoras do livro Veganomicon). Por alguma razão eu achei que fosse trabalhoso ou complicado e morria de preguiça de fazer.

Aí esses dias, visitando um blog querido, o Vegan Ronin, deparei com a receita de novo e resolvi fazer um vento. E não é que é facílimo e delicioso?! Nossa, nem quero mais comprar linguiça pronta. A nossa ficou da pontinha da orelha - até apimentada, do jeitinho que a gente gosta. Thanks so much, Jhenn!!

Linguiça vegana

Ingredientes:
  • 1/2 xícara de feijão carioquinha, cozido
  • 1 xícara de caldo de vegetais
  • 1 colher (sopa) de azeite de oliva
  • 2 colheres (sopa) de molho de soja
  • 2 dentes de alho picados bem fininho
  • 1 xícara e 1/4 de farinha de glúten (aqui: vital wheat gluten)
  • 1/4 de xícara de levedura nutricional
  • 1 colher e 1/2 (chá) de sementes de erva-doce (amassadas com uma colher)
  • 1 colher (chá) de pimenta malagueta em flocos
  • 1 colher (chá) de páprica
  • 1 colher (chá) de orégano
  • Pimenta-do-reino a gosto
Preparo:

1. Antes de misturar os ingredientes, ponha uma panela com água pra ferver (e separe a tigela furadinha que vai por cima, pra preparar a linguiça no vapor).

2. Tenha a postos 6 folhas de papel laminado. Numa tigela grande, amasse bem o feijão, como se fosse preparar um purê. Adicione todos os outros ingredientes e misture bem com um garfo (a gente usou a nossa Moby Dick supersônica - foto acima).

3. Divida a massa em 6 pedaços. Ponha cada pedaço no papel alumínio e molde na forma de uma linguiça. Enrole. Não se preocupe muito com o formato, ela basicamente vai se formar sozinha quando cozinhar no vapor; essa receita é incrível.

4. Coloque as linguiças pra cozinhar no vapor (com a tampa fechada - foto abaixo) por 40 minutos. Deixe esfriar um pouquinho e pronto. Fizemos as nossas BEM apimentadas, mas você pode variar a receita como bem entender.

Como R tinha feito baby bok choy (couve chinesa) na frigideira, aproveitou e fritou as linguiças um pouquinho também. Servimos com tomates frescos cortados em rodelas. As linguiças veganas viram acompanhamento pra verduras, saladas, massa, sanduíche... o que você tiver em mente! E elas não têm gordura ruim nem colesterol.

Que descoberta deliciosa!

E Happy Saint Patrick's Day!

domingo, 15 de março de 2009

Death on a Factory Farm

Mais um documentário baseado em informações e imagens feitos por alguém que se infiltrou numa dessas fazendas horrendas de matadouro. Estréia amanhã às 10 da noite (horário de NY) na HBO.
Por amor, não perca!

sexta-feira, 13 de março de 2009

Contra o uso do couro

As pessoas estão tão acostumadas a comprar couro, que esse nome já parece que virou algo simples e básico, como vidro ou borracha. Então, vamos acabar com a hipocrisia e falar abertamente sobre isso: o couro não é uma coisa criada do nada; não nasce em árvore; não é plantado. Couro é COURO ANIMAL. É PELE. Significa que alguém foi morto para a extração desse produto. Ele vem da morte. Pegue o seu cinto, bolsa ou sapato de couro, traga pra perto do seu rosto e cheire. É o cheiro de morte. De vida arrancada a sangue e sofrimento.

Existem mil razões pra não se comprar ou usar couro. Aqui estão apenas algumas delas:

O couro não é um subproduto da indústria da carne. Ele é um co-produto dessa indústria. O couro gera lucro para as fazendas-matadouros, enchendo os bolsos dos exploradores de animais cheios de cobiça. Aqueles mesmos que trancam os animais e extraem seu leite e carne.

O couro comprado nos Estados Unidos geralmente vem da India e da China, onde as condições dos animais são particularmente cruéis.

Os produtos químicos utilizados no processo de tratamento e coloração (formaldeída, crômio, arsênico, e ácido cianídrico) causam sérios riscos ao meio ambiente, e claro, à saúde humana.

Se você é vegetariano ou vegano e usa couro, vão chamar você de hipócrita sempre que você explicar a sua filosofia de amor aos animais.

O couro pode vir de vacas, porcos, bodes, ovelhas, jacarés, avestruzes, cangurus... até de cães e gatos. O couro geralmente não vem com etiqueta explicando exatamente sua origem, e isso é feito de propósito; pra você não saber de onde ele veio. Ele geralmente vem de bebês: o couro de animais jovens é preferido por ser mais macio e menos "manchado".

Hoje em dia há MUITA alternativa. Se você não quiser, não precisa usar couro. Existem inclusive materiais que não prejudicam tanto o meio-ambiente, como a borracha reciclada. Procure também por microfibra, couro sintético, couro-imitação, vinil, PVC, e o que chamam aqui de "all man-made materials". Como alternativa, você também encontra por aí produtos feitos de algodão, linho, cânhamo, borracha, canvas, chlorenol e outros materiais sintéticos.

Pra mais informações sobre o couro, visite esses sites (em inglês):

Leather Facts
Cows are cool
Alternatives to leather

Via Vegan Soapbox e Veg for Life
Photo via Their voice

terça-feira, 10 de março de 2009

Purê de batata doce, filés de grão de bico e cuscuz marroquino

Sabe aquela comidinha que enche a pança (eu falava assim quando era pequena, hehe) e deixa a gente feliz? Aquela sensação gostosa de saciedade e prazer que a comida deveria sempre dar e sem envolver nenhum sofrimento, nada que não seja verdadeiramente um ALIMENTO? Esse prato é mais um daqueles.

Descasquei e cortei a batata doce em pedaços grandes, como na foto acima, e puz numa panela com água pra cozinhar por alguns minutos. Quando ficaram macios, amassei num prato com uma pitada de sal e um pouquinho de margarina vegana, até virar um purê. Separei. Enquanto isso preparei os filés de grão de bico (da receita do livro Veganomicon).

Primeiro, amassei bem 1 xícara de grãos de bico cozidos com 2 colheres (sopa) de azeite de oliva. Na mesma tigela, adicionei 1/2 xícara de farinha de glúten, 1/2 xícara de farinha de rosca (ou de pão), 1/4 de xícara de caldo de vegetais ou água, 2 colheres (sopa) de molho de soja, 2 dentes de alho picados, 1/2 colher (chá) de tomilho, 1/2 colher (chá) de páprica, 1/4 de colher (chá) de sálvia seca. (Foto acima). Misturei tudo muito bem, primeiro com uma colher e depois com as mãos, até virar uma massa compacta como na foto abaixo.

Dividi a massa em quatro pedaços e, numa superfície lisa, com a ajuda de um rolo de macarrão estiquei bem cada pedaço e moldei até que ficassem com a forma parecida com a de quatro filés (foto abaixo).

Numa frigideira de ferro grande, pré-aquecida, coloquei uma camada fina de azeite e fritei os filés - cada lado por uns 6 ou 7 minutos. Quando virar os filés pra fritar do outro lado, acrescente um pouquinho mais de azeite se for necessário. Estão prontos quando estiverem dourados e firmes. E você pode assá-los no forno se não quiser fritá-los.

Pra aquecer o purê de batata doce, coloquei de volta na panela e acrescentei um pouquinho de leite de soja (sem sabor). Fui misturando tudo até ficar macio e quentinho, pronto pra servir.

Servi os filés de grão de bico e o purê de batata doce (salpicado com cebolinha) com uma salada simples de alface picada, sal e pimenta-do-reino, e um pouquinho de cuscuz marroquino. Ficou show.

Deu água na boca? Então prepare também uma refeição assim, deliciosa e sem ingrediente animal e depois me conte aqui!

domingo, 8 de março de 2009

Os Quatro Novos Grupos Alimentares

Muitos de nós cresceram com os antigos quatro grupos alimentares básicos do USDA (o "ministério da agricultura" americano) , criados em 1956. Com o tempo, aprendemos sobre a importância das fibras, o alto risco do colesterol e das gorduras, e o poder preventivo de muitos nutrientes encontrados exclusivamente em alimentos vegetais. Também descobrimos que o reino das plantas também provê excelentes fontes de nutrientes que antigamente só eram associados à carne e laticínios, como a proteína e o cálcio, por exemplo.

O USDA revisou suas recomendações com a pirâmide alimentar, um plano de agrupamento alimentar que reduziu as porções sugeridas de produtos animais e gorduras vegetais. Após determinar que o consumo regular desses alimentos - mesmo em pequenas quantidades - traz sérios e desnecessários riscos à saúde, o grupo de médicos do PCRM (Physicians Committee for Responsible Medicine) desenvolveu Os Quatro Novos Grupos Alimentares em 1991. Esse plano de colesterol zero e baixo teor de gordura supre todos os requisitos nutricionais de um adulto médio, incluindo uma quantidade substancial de fibras.

Os maiores assassinos dos americanos - doença cardíaca, câncer e derrame - têm uma incidência drásticamente menor entre as pessoas que consomem dietas à base de vegetais. A obesidade - que contribui para uma série de problemas de saúde - também pode ser controlada se as recomendações dos Quatro Novos Grupos Alimentares forem seguidas.

Experimente os Quatro Novos Grupos Alimentares e descubra uma maneira mais saudável de viver!

VERDURAS
3 ou mais porções por dia

Verduras são cheias de nutrientes; elas contêm vitamina C, beta-caroteno, riboflavina, ferro, cálcio, fibras e outros nutrientes. Verduras de folhas verde-escuro como o brócoli, couve-manteiga, couve crespa, mostarda e nabo, chicória, ou couve chinesa são especialmente ricas nesses nutrientes. Vegetais amarelo-escuros e cor-de-laranja como as cenouras, abóbora e batata doce, oferecem extra beta-caroteno. Inclua porções generosas de verduras variadas na sua dieta.
Porção: 1 xícara de verduras cruas, 1/2 xícara de verduras cozidas.

GRÃOS INTEGRAIS
5 ou mais porções diárias

Esse grupo inclui pão, arroz, massa, cereal frio ou quente, milho, quinoa (ou quínua), millet (painço), cevada, triguilho, trigo-sarraceno, e tortillas. Tenha sempre em suas refeições um grão integral - eles são ricos em fibras e outros carboidratos complexos, e também em proteína, vitaminas do complexo B, e zinco.
Porção: 1/2 xícara de cereal quente, 2 colheres (sopa) cereal seco, 1 fatia de pão

FRUTAS
3 ou mais porções diárias

As frutas são ricas em fibra, vitamina C e beta-caroteno. Inclua pelo menos uma porção por dia de frutas ricas em vitamina C - frutas cítricas, melões e morangos são ótimas opções. Prefira frutas inteiras aos sucos (eles não contêm muita fibra).
Porção: 1 pedaço médio de fruta, 1/2 xícara de fruta cozida, 1/2 copo de suco.

LEGUMES
2 ou mais porções diárias

Feijões, ervilhas e lentilhas são ótimas fontes de fibra, proteína, ferro, cálcio, zinco e vitaminas do complexo B. Esse grupo também inclui grãos-de-bico, favas, vagens, leite de soja, tempeh, e proteína vegetal texturizada (PVT).
Porção: 1/2 xícara de feijões cozidos, 1 xícara de tofu ou tempeh, 1 copo de leite de soja

-------

Via Vegan: the New Ethics of Eating, um livro fantástico. Texto produzido pelo grupo Physicians Committee for Responsible Medicine. Tradução livre minha.


*Lembrete: a vitamina B12 é a única que não se obtem em nenhum desses grupos, já que ela é produzida por bactérias. Nossso organismo precisa de muito pouco dela, mas precisa. É fácil contornar esse problema já que muitos cereias e leites vegetais vêm enriquecidos com B12. Mas a gente tem que ficar esperto. Pergunte ao seu médico sobre suplementos de B12.

sexta-feira, 6 de março de 2009

Absolute Bagels

O melhor bagel de Nova York! E adivinha? Eles preparam um delicioso tofutti cream cheese. Peço sempre de alho com ervas (foto). Adoro. Mas eles também têm o básico puro, ou com vegetais, com cebolinha, com tomates secos e passas... E todos os tipos de bagels que você imaginar: integral, de cebola, alho, gergelim, preto...

O endereço do Absolute Bagels é 2788 Broadway (entre as ruas 107 e 108). Telefone: 212-932-2052.

Tenha um excelente final de semana e Go Vegan! Vai por mim, é MUITO mais gostoso. ;)

quinta-feira, 5 de março de 2009

Empurrãozinho de leve

Aqui vai um empurrãozinho, pra todos os que amam os animais, em direção ao veganismo.

Assista e me diga se não é urgente que você entre pra nossa turma. ;)

terça-feira, 3 de março de 2009

O poder da couve crespa

A couve crespa é da mesma família que o brócoli, a couve-flor e a couve-de-Bruxelas e extremamente parecida geneticamente com a couve-manteiga. Aqui nos EUA chama-se "kale".

A couve crespa parece ser a mais nova vedete entre veganos e nutricionistas por aqui. Ela é considerada altamente nutritiva, com forte poder antioxidante e anti-inflamatório e tem aparecido bastante em revistas e blogs veggies.

E tem mais: alta concentração de beta caroteno, vitamina K, vitamina C e cálcio. Além disso, a couve crespa, assim como o brócoli, contém uma substância química (sulforaphane) famosa entre os homeopatas e naturalistas por ser super potente no combate ao câncer.

Dá pra prepará-la de várias maneiras, mas a mais simples é como a gente sempre faz aqui em casa. Depois de limpá-la, a gente corta em tiras ou em pedaços menores e salteia na frigideira com óleo de gergelim, alho ou cebola e um pouquinho de molho de soja tamari.

Dessa vez a gente adicionou à couve crespa, abobrinha (outro alimento riquíssimo e delicioso) e cogumelos. O tofu, depois de drenado, foi grelhado na própria frigideira de ferro onde a couve foi preparada e salpicado com um pouquinho de sal marinho e pimenta-do-reino.

Sabor, saúde e compaixão. Tudo isso no seu prato - não dá pra pedir mais, né?!

segunda-feira, 2 de março de 2009

Você sabia que...


... o pimentão contém mais vitamina C do que a laranja? A maneira mais simples de prepará-lo é simplesmente limpando bem, tirando as sementes, cortando em tiras e servindo numa salada colorida.

E uma semana bem colorida pra você!

Posts similares

Related Posts with Thumbnails