quarta-feira, 29 de abril de 2009

Meu pitaco sobre a Gripe Suína

Parece que aos poucos a mídia está caindo em si e percebendo o que na minha opinião é a raíz dessas gripes - a Suína, e antes dela, a Aviária. O tratamento cruel e opressivo com que são criados os animais de abate é onde está o começo de tudo isso.

As pessoas precisam começar a perceber que quando se põe centenas de animais juntos em espaços minúsculos e sujos, sem poder se mexer, sendo alimentados à força e cruelmente punidos e torturados, esses animais estressados vão desenvolver vírus e bactérias que vão acabar atingindo o ser humano.

É PRECISO ACABAR COM A CRIAÇÃO E O COMÉRCIO DE ANIMAIS PARA O USO HUMANO. Quer fazer a sua parte? Go vegan!

Leia mais sobre o assunto:

O poder do brócolis no combate ao câncer de estômago

Deu no jornal A Folha de São Paulo:

BRÓCOLIS COMBATE BACTÉRIA H. PYLORI

A infecção pela bactéria H. Pylori, a principal causadora do câncer de estômago, pode ser combatida por meio do aumento do consumo de brócolis, revela um estudo americano feito na Johns Hopkins School of Medicine com 48 pessoas. Após oito semanas, os níveis da infecção foram consideravelmente menores em um grupo que ingeriu diariamente 70 gramas de brotos de brócolis em comparação com voluntários que consumiram alfafa.

Folha de SP - 7 de abril, 2009

Clique aqui pra ver todas as nossas receitas com brócoli.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Queijo de nozes - mais uma receita crua

Mais uma receita crua facílima e deliciosa. O queijo cremoso de nozes ficou perfeito. Faça canapés ou sanduíches. Leva só alguns minutinhos pra preparar.

Queijo de nozes

Ingredientes
  • 2 xícaras de nozes
  • 2 colheres de sumo de limão
  • 3 dentes de alho
  • 1 colher (chá) de sal marinho
  • 1/2 xícara de manjericão fresco
  • 1/2 xícara de água
Preparo

Coloque tudo, menos a água, no processador com a lâmina S, e comece a bater. Vá adicionando a água devagarinho até virar uma mistura cremosa, macia. Pronto! Servi dessa vez sobre bolachinhas, com uma fatia bem fina de tomate, um pedacinho de azeitona preta e uma folha de baby rúcula pra enfeitar.

Tenha uma ótima semana e lembre-se que comidinhas cruas veganas fazem a gente se sentir leve, saudável, feliz... pronto pra encarar a semana que vem pela frente!

sábado, 25 de abril de 2009

Rapidinhas de sabadão

Finalmente saquei qualé a do Twitter e tô adorando! Sério, não tem frescura, bate-papo besta, perda de tempo. É uma troca de informações sensacional e você só assina os canais/organizações/pessoas cujos assuntos te interessam. E pronto! Todo mundo tem que ser conciso, e se você quiser ler mais sobre tal assunto, é só clicar no link que te mandam no final da frase. Science! :) Farm Sanctuary tá lá, Peta, claro, Ecorazzi... Seria muito legal ver grupos veganos brasileiros, como a Anda ou o Vista-se por lá. Eu tô lá direto: deinha_ny

--------

Acaba de chegar em casa o novo exemplar da revista VegNews. ADORO essa publicação e aguardo ansiosa por ela a cada 3 meses. Além de artigos sobre veganismo, mostra bares e restaurantes veganos nos EUA e no exterior, receitas, lojas, entrevistas... Dá pra acompanhar muita coisa pelo site da VegNews se você não quiser ou não puder assinar. E no blog deles, o Café VegNews, todo dia tem um prato vegano delícia que eles fazem na redação da revista.

-------

Aconteceu uma situação meio complicada comigo no trabalho dia desses, que me lembrou do texto excelente da Ellen Augusta pro site da ANDA, chamado "De vegano pra vegano". Sabe aquela situação que não dá pra fugir, tipo almoço de trabalho? Pois é. Só que a comida servida foi churrasco - e eles sabem que eu sou vegana. A maioria venceu a votação sobre que comida servir e eu tive que aceitar. Pensei em inventar uma desculpa e não participar, o que dependendo da situação é a melhor saída, mas a minha presença nesse grupo era de alguma forma essencial na política interna da empresa e eu encarei. Encarei numa boa, não abri minha boca pra falar sobre direitos animais ou veganismo nem nada do gênero, e todos na sala também ficaram na deles. Levei meu almoço, ninguém comentou, olhou de lado, tirou sarro ou fez comentário maldoso. Com exceção do cheiro insuportável de carne morta e defumada na sala - e do fato de que eu não queria que me vissem fazendo careta pra isso, então eu olhava pro nada, fazia cara de paisagem - tudo terminou bem. Ativismo tem hora e lugar. E educação e classe começam por você.

-------

Andei experimentando com uma receita ótima de almôndegas veganas, pra servir com massa. Ficou muito bom. Só falta organizar as fotos. Aguarde mais um post de dar água na boca. :P

-------

Em homenagem ao Dia da Terra, essa semana que passou, panfletei sozinha no Central Park sobre o foie gras e a crueldade que isso envolve. Distribuí este panfleto. Fiquei bem à margem de um lago lindo, onde patos e gansos se banham e as famílias de americanos e turistas trazem suas crianças pra observar essas aves tão lindas. Distribuí meus panfletos educadamente e em 1 hora já tinha esgotado todos que tinha trazido na bolsa, 50 ao todo. Foi divertido, ouvi comentários ótimos e mesmo os que não pegavam o panfleto da minha mão, o fizeram educadamente. Panfletagem é MUITO eficiente e faz um bem danado pra você (e mais ainda para os animais).

-------

Já que não achei nenhuma, criei eu mesma uma página no FaceBook chamada Vegan Sushi and Rolls. Vai lá e vira fã, vai?! ;)

E tenha um EXCELENTE final de semana!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Veggie burger em pão integral com fritas

... maionese vegana, baby rúcula, fatias fininhas de pepino, tomate, cebola refogada em azeite e uma fatia de queijo de soja.

Quem disse que comida vegana não tem graça? Alguém aí ouviu dizer que vegano só come salada? Hahahahahahaha...

Happy Friday!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Dia da Terra e os impactos mundiais de uma dieta sem carne

Hoje é o Dia da Terra! É dia de parar pra pensar um pouco (mais) no planeta e em formas de fazê-lo um lugar melhor, mais saudável, mais sustentável, mais feliz.

Proporção do massacre de aves, porcos e gado nos EUA em 2008:



Digamos que você não se importe muito com o sofrimento animal ou ache que isso não é motivo suficiente pra deixar de comer o seu churrasquinho adorado ou a sua picanha tenra e salgadinha. Se você nunca parou pra pensar nos efeitos devastadores que o consumo de carne também tem no planeta, está mais do que na hora de saber algumas coisas bem importantes.

Por exemplo...

Se todas as pessoas daqui fossem vegetarianas por 1 só dia, os Estados Unidos economizariam:

● 100 bilhões de galões de água, o suficiente pra suprir todas as casas na região inteira da Nova Inglaterra por quase 4 meses;

● 1.5 bilhão de libras (ou 700 milhões de quilos) da colheita que alimentaria o gado, o suficiente pra alimentar o estado inteiro do Novo México por mais de um ano;

● 70 milhões de galões de gasolina -- suficiente pra abastecer todos os carros do Canadá e do México juntos, e ainda sobrar;

● 3 milhões de acres de terra, uma área maior que o dobro do tamanho do estado de Delaware;

● 33 toneladas de antibióticos.

Se todos aqui fossem vegetarianos somente por 1 dia, os EUA evitariam:

● Emissões de gases do efeito estufa equivalentes a 1.2 milhões de toneladas de CO2, o que significa o total produzido pela França inteira;

● 3 milhões de toneladas de erosão do solo e $70 milhões de dólares de prejuízo resultante disso;

● 4.5 milhões de toneladas de excremento animal;

● Quase 7 toneladas de emissão de amônia, um dos piores poluentes do ar.

De acordo com a Defesa do Meio Ambiente, se cada americano substituísse uma refeição de frango por semana com vegetais, a economia de dióxido de carbono seria a mesma que tirar mais de meio milhão de carros das estradas dos EUA.

Viu como é fácil causar um impacto?


Dados via Huffington Post.
Quadro do início do post via animalvisuals.org que eu achei pela Elaine Vigneault.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Uma Vida Interligada

Na próxima quarta-feira comemora-se o Dia da Terra. Eu sempre comento nesse blog da importância da dieta vegana, não só pelos animais, mas pelo planeta em geral. E pensando nisso e no que postar essa semana, encontrei no blog Eco-Consciência dois videos bem legais e explicativos nesse sentido. Não são muito longos e os dois têm legendas em português. Achei bem apropriados pra essa data. Há várias formas de se ajudar o planeta, mas uma das mais importantes e eficazes é sem dúvida adotar uma dieta vegana. Veja o porquê nos videos abaixo.

A Life Connected (Uma Vida Interligada)

Parte 1



Parte 2



Pense nisso e na diferença maravilhosa que você pode ajudar a fazer no planeta. Se não começarmos já, vai ser tarde demais. E já é quase tarde demais.

Via Eco-Consciência

sábado, 18 de abril de 2009

Happy Cow e o restaurante Grand Appetit, em Paris



Happy Cow é um site muito útil que lista todos os restaurantes e lojas veganas e vegetarianas no mundo inteiro. Se você quer saber se tem um restaurante veggie perto de onde você mora, ou se está viajando e precisa urgente de comida boa vegana, é só acessar o site e colocar o nome da cidade onde você está.



Quando estávamos planejando nossas férias ano passado, eu peguei no Happy Cow o endereço de vários restaurantes veggie em Paris e Londres. Dito e feito. Em Paris, fomos até o Grand Appetit, um restaurante vegano macrobiótico localizado no bairro (charmosíssimo) Bastille. Ambiente confortável, comida excelente, preços ótimos e fala-se inglês. Nem preciso dizer que nos fartamos de comida boa e uma cerveja gelada, né? As fotos falam mais que mil palavras, hehe.

Anota aí (e salve nos seus favoritos): Happy Cow. Não só lista os locais, como indica o tipo de cardápio, atmosfera, preços e você ainda pode ler as críticas escritas por gente como eu e você. E quando for a Paris - uma cidade que de tão maravilhosa nem dá pra explicar em palavras - não deixe de dar um pulinho no Grand Appetit. Olha só o meu "pratinho":

Bon appetit! :)

Grand Appetit
9 Rue la Cerisaie (75004) (no bairro Bastille)
Telefone: 0140270495
Tipo de comida: Vegana, Macrobiótica, Orgânica
Servem Cerveja e Vinho

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Vício

Isso é uma das coisas mais legais, entre as várias, de ser vegano. Quando você vicia numa comida ou num ingrediente específico, ele provavelmente faz muito bem pra sua saúde anyway, he!

Couve-de-bruxelas virou uma febre aqui em casa. Foi o aperitivo campeão desse inverno. A gente tem feito pelo menos umas 2 vezes por semana. A receita, facílima, está aqui, só que dessa vez adicionamos umas gotinhas de molho de soja tamari.

Eita vício bão. ;)

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Rita Lee

Resposta ao cantor Arnaldo Antunes que perguntou sobre sua fonte da juventude.

Go Rita!

Via Vista-se

terça-feira, 14 de abril de 2009

Crepes recheados com proteína de soja e cogumelos

A receita mais fácil do mundo, e que delícia, minha gente, vixemaria. Essa é uma variaçãozinha da nossa receita de crepes, mas bem parecida. E o resultado, na minha opinião, foi melhor dessa vez. O crepe ficou mais fininho, mais leve. Vamos lá:

Para os crepes veganos: 1/2 xícara de leite de soja, 2/3 de xícara de água, 1/4 de xícara de margarina vegana Earth Balance (derretida), 1 xícara de farinha, 1 colher (chá) de sal, 2 colheres (sopa) de água (caso seja preciso afinar a massa). Rende de 8 a 10 crepes.

(Se você preferir fazer crepes doces, acrescente na mistura um pouquinho de açúcar demerara e essência de baunilha. Recheie com banana e canela, manteiga de amendoim, maçã...o que der na cabeça).

Ponha todos os ingredientes no liquidificador ou numa tigela. Mexa bem ou bata até ficar tudo macio, consistente. Deixe na geladeira por uns 30 minutos. Enquanto isso, prepare o recheio que você quiser.

O recheio: numa panela pequena, coloquei um pouco de proteína vegetal texturizada (PVT) picada, um pouco de água, molho de soja tamari, cebolinha picada, uma pitada de coentro, e cogumelos cremini fatiados. Deixei cozinhar tudo em fogo baixo, mexendo sempre, até a carne de soja hidratar bem e absorver bem o molho. Quando tudo estiver macio e cheiroso, desligue o fogo.

Numa frigideira média, frite os crepes, um a um (2 xícaras de cada vez), num pouquinho de margarina, dos dois lados. Transfira com cuidado para uma superfície lisa. Coloque sobre o crepe aberto, um pouco do recheio - bem no meio - e feche de cada lado. Faça isso com cada um. Servi com molho de tomate por cima, cebolinha picada (crua) e polvilhei queijo vegano tipo parmesão, ralado. Servi com uma saladona verde com grãos-de-bico. Yummy!

Receita dos crepes via Vegan Yum Yum. Passa lá e dá uma olhadinha no video ensinando como fritar os crepes.

sábado, 11 de abril de 2009

KFC - Kentucky Fried "CRUELTY"

Eu já falei por aqui dos horrores que a rede de fast food KFC causa aos animais. A KFC Brasil não é diferente, viu? Os padrões são iguais em todas as lojas da rede, no mundo inteiro.

Outro dia a KFC do Canadá disse que finalmente cedeu às pressões do grupo PETA, e estreou em algumas de suas lojas, o hamburger veggie. Isso ainda não me faria pisar numa KFC nem morta, porque não é um veggie burger que vai me convencer de que todas as carnes que eles usam não são mais provenientes de tortura. Mas pra completar meu raciocínio, li esses dias num blog vegano, que ao pedir hamburgers veganos na KFC do Canadá, o casal perguntou ao vendedor se estes eram preparados numa grelha separada, ao que ele respondeu, adivinha!, que não. Os veggie burgers do KFC são mergulhados no mesmo óleo que os hamburgers de carne. E você achou mesmo que seria diferente? Não caia nessa ladainha.

Billy Corgan, da banda Smashing Pumpkins, juntou-se recentemente ao ex-baterista, Jimmy Chamberlin, e a vários outros músicos que estão indignados com o tratamento que o KFC dá às galinhas criadas e mortas em suas fábricas-matadouros. Corgan e Chamberlin assinaram uma petição pra tentar ajudar a acabar com o sofrimento que a rede KFC causa às pobres aves.

Assine a petição você também!

Todo ano, centenas de milhares de galinhas são escaldadas ainda vivas. Esses seres tão sensíveis e inteligentes são enfurnados em gaiolas sujas e mínimas, onde vão passar o resto de suas vidas miseráveis. Os bicos dessas galinhas são cortados a ferro quente, quando ainda são pintinhos, e elas são cruzadas de maneira a crescerem muito maiores do que seu próprio peso suporta, fazendo com que fiquem aleijadas, mal podendo se mexer, e tendo seus ossos quebrados por conta disso - como na foto lá em cima. Nas fábricas-matadouros, essas aves gentis são penduradas de cabeça pra baixo em correntes de metal pra serem degoladas em massa. São então jogadas em tanques de água fervendo, frequentemente ainda conscientes.

Falando nisso, outro dia alguém mencionou aqui que é tudo balela e que não existe prova concreta disso. Mas é claro que existe! Se você já lê este blog há algum tempo, sabe que eu geralmente prefiro não postar os videos aqui porque são muito fortes. Sempre acho que minha palavra basta pra você, leitor, acreditar. Mas quer saber, vamos acabar com o álibi de quem na verdade simplesmente não quer acreditar. Aqui está o video:


E você pode assistir a mais videos no site KentuckyFriedCruelty.com.

Ajude a acabar com esse sofrimento horrível. Assine a petição e jamais pise numa loja da rede de fast-food KFC.

Clique aqui pra criar um cartaz no seu blog e ajudar a espalhar a nossa indignação.


Via Fish & Chimps

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Curry vermelho tailandês e uma couve-flor muito louca

O curry à moda da Tailândia pode ser amarelo, verde ou vermelho. O que faz mudar a cor é uma pasta especial de curry Thai. A diferença das cores tem a ver com o tipo de pimenta utilizada. O curry vermelho é feito a base de pimentas vermelhas (geralmente secas e re-hidratadas), o verde é feito a base de pimenta verde fresca, e o amarelo, bom, o amarelo não é tão comum e parece ser mais de influencia indiana. Não sei bem qual a pimenta (pode ser tanto a vermelha quanto a verde) mas com bastante turmeric pra dar a cor amarela ;) (Correção feita pela Alexandra- obrigada, querida!)

Quando vou a um restaurante tailandês aqui em Nova York, eu sempre peço "Vegetable Red Curry", um dos meus pratos favoritos. E foi exatamente esse prato que R preparou dessa vez. O sabor do curry tailandês é bem diferente do curry indiano que fizemos outro dia e igualmente delicioso.

A couve-flor roxa nós vimos na mercearia aqui perto e não resistimos. É muito lisérgica pra ficar de fora, né não?! E é tão gostosa quanto a branquinha.

Legumes ao curry vermelho Tailandês


Ingredientes
  • 4 batatas bintje (as clarinhas) e 4 batatas asterix (as vermelhinhas) - com a casca, cortadas em cubos
  • 1 pimentão vermelho, sem sementes, cortado em pedaços
  • Uns 230 gramas de tofu firme, drenado e cortado em cubos
  • 1 lata de grão-de-bico cozido
  • 2 latas de leite de côco light
  • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • 2 ascalônias (tipo de cebola pequena; em inglês: shallot), picadas
  • 3 cebolinhas fatiadas
  • 1 cebola vermelha, picada
  • 3/4 de xícara de manjericão fresco, limpo e picado
  • 1 colher (sopa) de sal marinho
  • 2 colheres (sopa) de pasta de curry vermelho Thai
Preparo
  • Cozinhe a cebola, as batatas e o pimentão em 3/4 de xícara de água, em fogo bem brando (com um pouquinho de azeite), até que fiquem macios (não muito)
  • Adicione o tofu, o grão-de-bico, o leite de côco - aumente um pouco o fogo - e deixe aquecer até ficar bem quente, mexendo devagarinho
  • Adicione o sal, a pasta de curry vermelho, o manjericão (baixe o fogo) e deixe cozinhar devagar, mexendo de vez em quando, até ficar com a aparência das fotos acima :)
Rendeu uma panelona grande de curry pra servir de 4 a 6 pessoas. De-lish.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Clementine, a cã, e Feliz Aniversário, Mãe!

Hoje não tem protesto nem receita. Hoje quem veio iluminar este blog, mesmo com cara de preguiça, foi a chachorrona bunduda mais amada do planeta. :) A nossa tangerine manda lambidas especiais pra você e agradece em nome dos bichos desse mundo tudo o que você faz por eles!

E pra minha querida Mãe, um beijo estalado e um abraço apertado de Feliz Aniversário! Te amo muito!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Pirâmide Vegana

Eu já tinha falado da pirâmide nutricional vegana faz um tempão. Estava na hora de relembrar...
Via Vegan Nutritionista

E repetir:

* Beba muita água diariamente e faça algum tipo de exercício pelo menos 3 vezes por semana.
* Use e abuse de legumes, verduras, frutas (e sucos) de todos os tipos, cores e sabores sem medo. Sem restrição.
* Cereais integrais também podem e devem ser ingeridos em grande quantidade: cevada, trigo integral, milho... Menor quantidade de arroz integral, pães e massas se estiver tentando perder uns quilinhos, mas não deixe de comê-los.
* Ingerir (moderadamente) alimentos à base de soja e algumas sementes e grãos: queijo de soja, leite de soja (melhor ainda se reforçado com B12 ou cálcio), leite de amêndoa (ou arroz, cânhamo, aveia...), amendoim, tofu, feijão, vagem.
* Pegue leve nos óleos vegetais e gorduras, doces e sal.

Tenha uma ótima semana!

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Bolinhos de batata e cogumelos

Mais uma receita veganizada, adaptada do "Livro Completo da Cozinha Vegetariana", edição portuguesa do livro concebido por Haldane Mason (Londres), que meu querido amigo Márcio me trouxe do Brasil.

Ingredientes
  • 450 gramas de batatas cortadas em cubos
  • 2 colheres (sopa) de margarina vegana
  • 170g de cogumelos variados, picados
  • 4 dentes de alho esmagados
  • 1/2 xícara de água
  • 1 colher (sopa) de amido de batata dissolvida em 3 colheres de água
  • Cebolinha fresca picada
  • Farinha de trigo pra empanar
  • Óleo pra fritar
  • Sal e pimenta a gosto

  1. Coloque os cubos de batatas numa panela com água fervendo e um pouco de sal e deixe cozinhar por uns 10 minutos, até estarem macias

  2. Escorra bem as batatas e amasse-as com um esmagador ou garfo, como se fosse preparar um purê

  3. Enquanto isso, derreta a margarina numa frigideira. Junte os cogumelos e o alho e cozinhe, mexendo constantemente, durante 5 minutos. Escorra bem.

  4. Incorpore os cogumelos e o alho na batata e adicione a água, o amido de batata e a cebolinha e misture tudo muito bem.

  5. Molde com as mãos os bolinhos, como na foto. Dependendo do tamanho que você queira fazê-los, rende vários. Passe-os com cuidado na farinha até o exterior estar bem revestido.

  6. Aqueça o óleo na frigideira. Adicione os bolinhos de batata e frite-os em fogo médio por uns 10 minutos, até ficarem dourados. Vire-os pra fritar do outro lado, retire-os da frigideira e deixe-os secar num papel toalha. Sirva-os ainda bem quentes com uma salada caprichada. Você pode também prepará-los no forno, em vez de fritar.
Como é bom veganizar uma receita! E como tem sido cada vez mais fácil... Tenho aprendido muito experimentando com esses pratos gostosos e simples. Nesse caso, a receita pedia um ovo e tudo o que eu fiz foi substituí-lo pela água + o amido de batata. Viu só como é fácil? Aqui tem mais dicas de como substituir ovos e transformar receitas em verdadeiros achados veganos.

Lembre-se, os animais não precisam sofrer pra que o nosso paladar seja satisfeito. Comida boa é comida vegana! ;)

Happy (vegan) Friday!

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Panfletando pelos animais

Uma forma pacífica e muito eficiente de protesto é panfletar. Quando você distribui folhetos informativos - seja sobre a alimentação vegana e sua relação com a prevenção de doenças ou sobre as torturas que os animais criados para o abate sofrem... seja o que for - você está ajudando os animais de duas formas: alertando pra algum assunto específico e despertando o interesse de pessoas que podem vir a fazer uma grande diferença.

Já ouvi bastante gente por aqui dizer que virou vegetariano ou vegano depois que viu um video ou leu sobre algo que afeta os animais de forma violenta e que, claro, não é comentado na mídia. É aí que entra a importância da panfletagem. E sempre que eu faço, me sinto tão bem. Dá uma injeção de energia e você sabe que está ativamente contribuindo para um mundo mais compassivo. Além disso, acaba conhecendo pessoas interessantes e aprendendo coisas também. Sem contar que é mais uma maneira de fazer da sua voz a voz dos animais. Informação é a melhor arma contra a ignorância. Vamos disseminá-la ao máximo.

A princípio parece difícil, especialmente para os tímidos. Mas isso é ilusão. Bastam 2 minutos panfletando e você já pega o jeito; já sabe como sorrir, o que dizer, como se colocar. Claro que se der pra levar um/uns amigo/s fica mais divertido ainda, mas dá pra panfletar sozinho numa boa - num dia, horário e local que VOCÊ escolher de acordo com a SUA disponibilidade e onde você quiser ou puder: ponto de ônibus, shopping center, entrada/saída de metrô, parque, perto da sua rua...

Então, não hesite, não perca mais tempo - os animais precisam da sua ajuda AGORA. Mande brasa na panfletagem! Pegue folhetos em português, pra imprimir e distribuir, AQUI. E AQUI TAMBÉM!

Algumas dicas que eu vi no site Vegan Soapbox ajudam quem estiver começando no ativismo pelos animais. Eu recomendo muitíssimo:

1. Esteja de preferência bem-vestido. Um look básico é suficiente.
2. Enquanto distribui os panfletos, seja gentil e sorridente.
3. Se conversar com alguém, concentre-se no assunto sobre o qual está panfletando.
4. Ignore se alguém for mal-educado ou grosso com você.
5. Seja super educado e facilite pras pessoas pegarem os folhetos.

Aquela na foto lá em cima sou eu, faz umas 3 semanas, panfletando no Lower East Side sobre o foie gras e mostrando como esse prato envolve uma crueldade inimaginável com patos e gansos. Isso na calçada oposta a um restaurante que serve essa "delicada iguaria".

Leia mais aqui sobre panfletagem pelos animais (em inglês). E aqui sobre o foie gras (em português).

Go vegan!

Posts similares

Related Posts with Thumbnails