sábado, 27 de novembro de 2010

Hamburguer de quinoa - sem soja e sem glúten!

Mais uma receita facílima e deliciosa, do jeito que a gente gosta. Essa eu peguei no site Affairs of Living e traduzi pra você.

Rende de 4 a 6 hamburguers, dependendo do tamanho.

Hamburguer de quinoa (ou quínua)

1 xícara de sementes de girassol (sem casca) cruas
1 xícara e 1/4 de quinoa cozida (vermelha ou branca)
1 tiquinho de água
1 colher (chá) de sal
1/4 de xícara de salsinha fresca picada
1 colher (chá) de flocos de cebola seca (eu usei cebola fresca picada bem fininho)
Opcional: qualquer outra erva ou especiaria favorita

Bata as sementes de girassol no processador (no modo "pulsar") até que fiquem picadas, mas não em pó. Elas têm que tomar a forma de farinha de pão (grossa). Transfira a mistura pra uma tigela grande.

Ainda usando o processador, coloque 1 xícara de quínoa, o sal, a salsinha, cebola e qualquer outra erva ou especiaria que você goste: orégano, pimenta, tomilho, alga marinha em pó, etc. Bata de novo no modo "pulsar" e adicione um tiquinho de água, só o suficiente pra deixar a mistura úmida. A massa tem que ficar consistente, grossa, com um pouco da quínoa em grãos inteiros.

Transfira a pasta de quinoa para a tigela com as sementes batidas. Com uma espátula grande ou suas próprias mãos (bem melhor), trabalhe a quinoa misturando-a bem às sementes. Adicione o 1/4 de xícara da quínoa que não foi batida e continue misturando tudo. O produto final deve ser uma massa meio úmida e pegajosa.

Divida em 4 ou 6 bolas e amasse-as formando os hamburguers (foto acima). Se você estiver com pressa, pode comê-los assim mesmo. Ou levá-los a geladeira por uma meia-hora, pra que fiquem mais firmes.

Eu prefiro fritá-los primeiro e comê-los quentinhos. Levá-los ao forno (elétrico, microondas ou convencional) é outra opção.

Essa receita é muito simples e sensacional pra quem tem alergia a soja ou glúten.

Bom apetite!

sábado, 20 de novembro de 2010

Velma, uma perua feliz!

Essa é a Velma... Ela só é feliz porque escapou de virar jantar no Dia de Ação de Graças, que acontece aqui nos EUA semana que vem.

Ela vive na Farm Sanctuary, a fazenda-santuário que eu já comentei aqui. A Velma foi resgatada por eles e hoje vive solta, levando uma vidinha tranquila e feliz. Infelizmente esse não é o destino de milhares de perus que semana que vem vão pra mesa de muita gente que diz comemorar a compaixão e a gratidão.

Se você puder, ajude a patrocinar um dos perus da Farm Sanctuary. Ou ajude o abrigo de animais da sua preferência. O Brasil está cheio deles.


Feliz Dia de Ação de Graças! Happy Thanksgiving!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Volta das férias e anotações de viagem

Acabei de voltar de viagem e cheia de novidades pra contar sobre minha aventuras gastronômicas em Portugal, no Sul da Espanha e em Marrocos. Estava precisadíssima dessas férias e voltei com muito gás e morrendo de saudades dos meus amados blogs e seus leitores. :)

Portugal é sensacional e um país super pequenino. Daria pra conhecê-lo inteiro de carro em 2 ou 3 semanas. Não, eu não fiz isso, mas um dia pretendo fazer. Nessa minha primeira vez, conheci Lisboa e me apaixonei. Conheci também 2 cidadezinhas fofas chamadas Cascais e Sintra. Numa visitei a Boca do Inferno, um precipício lindo, e na outra, o Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa.

Conheci também algumas praias da região Sul, chamada Algarve - que se entopem de turistas britânicos e alemães todo ano. Uma cidadezinha do Alentejo que fica no alto de uma colina e que tem o melhor azeite de oliva e vinhos que eu já experimentei na vida: Évora. E ainda uma cidade cheia de história, no extremo sul do país, chamada Sagres.

Visitei familiares queridos e matei a saudade de dirigir em estradas. Aliás, excelentes estradas, tanto em Portugal quanto no sul da Espanha. E o tempo estava perfeito, com temperaturas amenas e muito sol, todos os dias. A melhor época pra se viajar (pra qualquer lugar do mundo) é na primavera ou no outono.

Qualquer cidade de médio porte na Europa tem pelo menos um ou dois restaurantes veganos. Se não, com certeza tem opções veganas. Eu não achei que fosse verdade, mas confirmei isso pessoalmente.

Málaga, na região de Andaluzia, não é só o berço de Pablo Picasso e Antonio Banderas. É também a cidade da famosa pimenta malagueta, hehe, e pra quem gosta de tudo apimentado, é literalmente um prato cheio. :) Uma graça de lugar, Málaga é a segunda maior cidade da Andaluzia e a sexta maior da Espanha.

Gibraltar é linda e tem uma história super interessante. Além disso, pertence a Inglaterra, mas fica dentro da Espanha (e é reivindicada pelas autoridades espanholas). Mesmo assim o Gibraltarianos não se consideram ingleses nem espanhóis. O alto da montanha, ou Rocha de Gibraltar, tem um visual inesquecível e os macacos-de-Gibraltar, habitantes da Rocha, são deliciosamente selvagens.

Sevilha é muito linda e tem o mesmo ar romântico de Paris. De acordo com R, Sevilha é "uma Paris funkeada". E todo mundo lá é chic e perfumado - mesma impressão que tive em Milão. Incrível.

O Marrocos fica logo ali, pertinho da Espanha. Saindo de Tarifa, a viagem de ferry boat leva só 45 minutos. Mas é TÃO diferente quanto água e vinho. Pra começo de conversa você está na África. E tanto quanto eu recomendo que você tenha um guia local em Gibraltar (pra não perder tempo perambulando por onde não interessa, além de poder ouvir sobra a história do lugar vindo de alguém que nasceu ali), recomendo também que você fuja deles (guias) se estiver em Tanger, no Marrocos. Perda de tempo e dinheiro.

Não vejo a hora de conhecer mais da África. Tenho pelos menos uns 6 países na minha listinha particular. :) Alias, África, Ásia, Australia...

Viajar é a melhor coisa do mundo. Faz a gente aprender novidades interessantes e perceber como tudo é diferente e bonito. Abre a nossa cabeça e nos ensina a aceitar e admirar as diferenças. Em outras palavras, nos faz melhores. Quando dá tempo, antes de viajar eu faço uma pesquisa grande, não só sobre o que comer e onde encontrar restaurantes e ingredientes locais veganos, mas também sobre a história dos lugares por onde vou passar. Se a viagem inclui mais pessoas, eu tomo nota de tudo e imprimo páginas da internet com conteúdos sobre esses lugares, o que acaba sendo uma leitura deliciosa em voz alta (se estamos dirigindo) ou em silêncio se estamos voando ou viajando de trem.

Viaje sempre que puder. Respeite os costumes, os moradores e os animais locais. Experimente os cheiros, a música e os sabores desses lugares. Mantenha o bom humor e a mente aberta para o caso de mudanças de planos ou pequenos problemas que acabam mudando um pouco o rumo das coisas. Com tudo isso sempre se aprende e se vive experiências inesquecíveis. Eu sempre vivo. E desejo exatamente o mesmo pra você.
Fotos: Nascer do sol no Algarve, Boca do Inferno, Aeroporto de Madri, vista da Rocha de Gibraltar, Sevilha, Camelos em Tanger, Mar Mediterrâneo, Macaco-de-Gibraltar (os únicos que vivem em liberdade na Europa).

              Posts similares

              Related Posts with Thumbnails