quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo!

Chegou a hora de pensar na vida, tomar decisões, começar tudo novo. A gente quer sempre melhorar -- ter uma vida melhor, um emprego melhor, ser uma pessoa melhor... A hora é agora. Ajude a salvar a vida de milhões de seres inocentes desse planeta, e de bônus melhorar a sua vida também (sua saúde, sua consciência, seu espírito). Só depende de você. Torne-se vegano em 2012 e tenha um FELIZ ano novo!

sábado, 24 de dezembro de 2011

sábado, 17 de dezembro de 2011

Nova York, a grande maçã (verde)

Este post é pra quem está de malas prontas pra ir pra Nova York nessas férias. Tenho tantos amigos visitando a ilha de Manhattan, e há tantas possibilidades incríveis de comidas vegetarianas, além de toda a diversão e programas culturais que a cidade oferece, claro. Se você está de partida, aproveite bastante!

Você já deve ter ouvido falar ou tido a oportunidade de comprovar que a cidade de Nova York tem alguns dos melhores restaurantes do mundo. Pratos típicos de todo lugar podem ser saboreados aqui e, reza a lenda, ainda melhores do que em seus países de origem. Um exemplo é a famosa pizza, à venda em qualquer esquina, que muitos dizem dar de dez a zero na da Itália (eu concordo). A diversidade é um dos atrativos principais dessa cidade colorida. Aqui você encontra não só a comida típica indiana, como a dos vizinhos Paquistão, Nepal ou Sri Lanka. Se for a Chinatown, não precisa ficar só na comidinha chinesa, mas pode experimentar a coreana, a japonesa e a tibetana.

Assim que cheguei em Nova York - há 10 anos - descobri a cozinha etíope e tenho a sorte de poder visitar de vez em quando um dos melhores de seus restaurantes típicos em Manhattan, o Awash. O prato vegetariano deles (foto abaixo) é vegano e absurdamente variado e delicioso. Você come com as mãos, como é o costume, e a experiência vai do aroma exótico ao visual colorido, passando pelas diferentes texturas – “abraçando” pequenas porções suculentas com um pedaço do delicioso pão “injera” – e finalizando com o sabor, diferente de tudo o que eu já comi.

Os vegetarianos aqui têm também o privilégio de poder aproveitar as opções “verdes” que cozinhas tipicamente onívoras oferecem. Por exemplo: as tratorias sempre têm um “spaghetti primavera”; os árabes oferecem deliciosas porções de húmus (patê de grão-de-bico), baba ganouj (pasta de berinjela) e falafels (almôndegas de grão-de-bico). Japoneses têm seus Inarizushi (bolinhos de tofu frito recheados com arroz), e por aí vai.


Se você tiver a oportunidade de alugar um apartamento ou tem um espaço pra cozinhar dentro do quarto do hotel, pode também fazer a festa em Nova York. As feiras livres – aqui chamadas  de Farmers Markets – trazem todo sábado verduras, legumes, cereais e frutas dos agricultores da região, e nas mercearias específicas de bairro você encontra produtos de todo o canto do planeta. Tire um tempinho pra conferir as lojinhas indianas da Lexington Avenue, ou as árabes da Atlantic Avenue, no Brookyln, as caribenhas do Harlem, as italianas da Arthur Avenue, no Bronx (a verdadeira Little Italy). Claro que o bacana é comprar produtos locais, porque além de dar uma força para o pequeno produtor do próprio estado, você diminui sua pegada de carbono no planeta. Mas em Nova York você tem a oportunidade de encontrar aquele pozinho de garam masala, por exemplo, sem precisar voar até a Ásia.

Restaurantes 100% vegetarianos pipocam pela ilha e a cada mês surge um novo café, bistrô ou sorveteria vegana. Alguns dos favoritos são o impecável Candle 79 no Upper East Side; o latino V-Spot no Brooklyn; Cocoa V uma chocolateria orgânica em Chelsea; Peacefood Cafe, o melhor brunch do Upper West Side, a confeitaria BabyCakes no Lower East Side; o pan-asiático Franchia em Murray Hill; a fast-food punk-rock do Foodswings em Williamsburg; o carrinho NY Dosas do indiano Thiru Kumar; Cowgirl’s Baking, onde comi o melhor taco de toda a minha vida; e o econômico House of Vegetarian, em Chinatown. 



Supermercados como a rede milionária Whole Foods, que promete vender saúde (mas a preços salgadíssimos), têm uma variedade de produtos verdes de deixar a concorrência roxa de inveja. Só a parte de congelados vegetarianos têm prateleiras entupidas de hambúrgueres, filés, massas, aperitivos e sobremesas– tudo vegano. E dando uma voltinha lá dentro, você ainda descobre queijos vegetais, como o famoso Daiya, leites, iogurtes, carnes, pratos prontos...mais do que consegue carregar pra casa.



Hoje em dia, seja você vegetariano, flexitariano, onívoro ou veg-curious, se tiver a oportunidade de conhecer Nova York, vai ver que entre uma caminhada no Central Park e uma visita ao MoMA, vai ter um lugar pra você comer bem, e quase todos vão te oferecer opções verdes. Não hesite em perguntar, pedir, negociar, trocar ou devolver um prato ou produto que não esteja a altura do seu paladar. Brasileiros não têm o costume, mas aqui quase ninguém paga pelo que não gosta. E a gente fica na torcida pra que essa variedade chegue logo no Brasil.


Fotos: prato vegano do Candle 79, prato vegetariano do Awash, coxinhas veganas do Franchia, cartaz da feira local, entrada do Peacefood, prato vegano congelado do Whole Foods.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Bazar Vegano 2011

Foi um sucesso. Eu queria muito ter podido ir, mas esse ano não deu. Veja alguns dos expositores e participantes, e também projetos bem legais de ajuda aos animais. Se puder, ajude.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Quibe assado

Fazia um tempão que eu queria fazer quibe. Resolvi comprar o trigo e procurar uma receita vegana simples e gostosa. Achei num blog que eu adoro: o Vegetariano come o quê?

Segui a receita inteira ao pé da letra e ficou demais. Aqui vai ela:

Ingredientes

1 xícara de trigo para quibe
1/2 xícara de tofu amassado
1 colher de sopa de óleo
1 cebola média picada
4 dentes de alho amassados
2 colheres de sopa de orégano
1 cenoura ralada
3 colheres de sopa de shoyu
2 colheres de sopa de aveia em flocos finos
1 xícara de salsinha e cebolinha
1/2 xícara de hortelã
Molho de pimenta a gosto
Sal a gosto

Deixe o trigo de molho por aproximadamente 1 hora. Depois coloque em uma peneira e deixe escorrer até ficar úmido. Em uma panela, aqueça o óleo e doure alho e cebola. Acrescente o trigo, o tofu, a cenoura, os temperos e a aveia, mexa bem até incorporar tudo. Acrescente o shoyu e algumas gotinhas de molho de pimenta. Se for colocá-lo em um refratário, unte-o com um pouquinho de óleo e coloque a massa de forma que fique com 2 ou 3 dedos de altura, para não ressecar muito. Quadricule a massa com uma faca e coloque um fiozinho de óleo nos meios, para deixar a massa mais úmida. Leve ao forno para assar por aproximadamente 30 minutos, ou até que fique firme.

Pode decorar com sementes de girassol e, depois de assado, colocar folhinhas de hortelã. Se optar por modelar em formato de quibe, deixe esfriar um pouquinho e modele os quibes do tamanho que preferir. Unte uma forma com um pouquinho de óleo e leve para assar até que fique firme. Sirva com pedacinhos de limão.

Da próxima vez vou tentar rechear o quibe e ver o que acontece. Adoro quibe recheado. Depois eu conto aqui.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Parada Veg em São Paulo 2011

Aqui está o video da Parada em Sampa, semana passada. Parabéns aos organizadores -- foi sensacional. Espero que a participação aumente muito mais a cada ano, e que mais pessoas tenham acesso a informação e a eventos como esse. Clique aqui pra ver as fotos que eu tirei lá.


Go Vegan!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

A selvageria da rede de fast-food McDonald's

O que eu recebi de reclamação e comentários malcriados aqui no blog por causa dos posts sobre o KFC não foi bolinho. Agora esse pessoal vai poder se sentir vingadinho porque o video mais recente da Mercy for Animals mostra as atrocidades cometidas nos bastidores do concorrente deles, o McDonald's.

Fãs de franquias de fast-food: me deixem em paz agora, tá bom? E pelamordedeus não venham me dizer que essas imagens foram forjadas e que as redes de fast-food são SUPER preocupadas com o bem-estar animal. Tenham peito pra assistir essas imagens e admitir que vocês ajudam a patrocinar esses horrores. Agradecida.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Salada de batatas "Prospect Park"

Essa é mais uma receita tirada do clássico Veganomicon. E é excelente para o calorzinho que já está fazendo no Brasil. Eu tenho um carinho especial por essa receita, não só por ser uma delícia, mas quando me mudei pra Nova York, 10 anos atrás, morei no Brooklyn, pertinho do Prospect Park, onde eu ia correr todo dia de manhã cedinho. Good times...

Tempo de preparo: 50 minutos, mais o tempo de esfriar.

Ingredientes:
  • Aproximadamente 2,5kg de batatas descascadas e lavadas
  • 1 pepino sem sementes cortado em pedaços pequenos e finos
  • 1 xícara de maionese vegana
  • 1/4 de xícara mostarda Dijon
  • 1/4 de xícara de azeite de oliva
  • 1/3 de xícara de vinagre branco destilado
  • 2 colheres (sopa) de açúcar (eu uso uma só)
  • 1 colher (sopa) de endro (em inglês: dill) seco
  • 1 colher (chá) de turmérico (também conhecido como "curcumina" e "açafrão da Índia")
  • 1 colher e 1/2 (chá) de sal
  • 1 colher (chá) de pimenta-do-reino
  • 1 cenoura grande, descascada
Preparo:

Corte as batatas em pedaços de aproximadamente 1 centímetro. Se forem pequenas, simplesmente corte-as ao meio e depois em dois. Deixe-as com tamanhos diferentes, assim os pequenos se desmancharão e absorverão o molho, e os grandes não vão se desmanchar. Coloque as batatas numa panela grande e encha com água até cobri-las. Ferva por 15 minutos. Verifique então se é possível furá-las com um garfo, mas que ao mesmo tempo não estejam muito moles.

Enquanto isso, prepare o molho: numa tigela bem grande (onde depois caibam também as batatas), misture a maionese vegana, mostarda, azeite, açúcar, vinagre, endro, turmérico, sal e pimenta. Adicione o pepino e leve à geladeira até que as batatas terminem de cozinhar.

Quando as batatas estiverem prontas, escorra e molhe-as um pouco com água fria dentro de um escorredor. Mexa bem o escorredor e deixe-as esfriar por uns 15 minutos. Transfira as batatas para a tigela com o molho e use uma colher de pau pra mexer tudo e misturar as batatas muito bem misturadinhas ao molho. Agora rale a cenoura por cima da salada e misture tudo de novo. A cenoura é um ingrediente essencial nessa receita porque ela acrescenta um sabor adocicado - então, não deixe de adicionar a cenoura e não a corte em rodelas; rale. Veja se está bom de sal e pimenta e leve à geladeira.

Quando estiver geladinha, experimente a salada pra checar mais uma vez se está boa de sal e pimenta, então sirva. Essa é mais uma receita que não contém glúten, soja, proteína animal ou gordura ruim. Aproveite MUITO. E tenha um ótimo final de semana -- de consciência limpa e livre de sofrimento animal!

---------

Atualização: acabei de perceber que eu já tinha postado o passo-a-passo dessa receita faz um tempão. Desculpem a escorregada! Mas acreditem, vale a pena fazê-la, é sensacional. :)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Você sabia que...


Quando você come carne, não é O QUE você está comendo, mas QUEM você está comendo. Ele ou Ela pode não ter tido um nome, mas tinha uma personalidade e uma família, e tinha o desejo de viver. Só porque você não o conheceu, não quer dizer que ele não tenha merecido ser conhecido -- ou merecido viver.

Seja ético. Seja vegano.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

1° de novembro – Dia Mundial do Veganismo

Essa semana, e principalmente no dia de hoje, comemora-se no mundo inteiro o veganismo. É um momento emocionante porque podemos celebrar milhares de vidas salvas pelo simples ato de decidirmos não mais participar da exploração animal.

Cada pessoa que se torna vegetariana salva, em média, aproximadamente 80 animais por ano. Quem se torna vegano então, ajuda a multiplicar esse número. É sensacional saber disso. Aí vem a saúde de bônus, já que a alimentação vegana é super saudável e te traz um equilíbrio físico nunca antes experimentado.

Leia bastante, informe-se e torne-se vegano/a já. Os animais desse mundo precisam MUITO da sua ajuda e você vai se sentir 100% melhor.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Polenta grelhada

Polenta é fácil e versátil. Deliciosa frita ou grelhada, servida no calor ou no friozinho. Essa receita é básica e serve 8.

Ingredientes:

1 litro de água ou caldo de legumes
250g de polenta instantânea
1 punhado de salsinha fresca picada
Sal e pimenta à gosto

Modus operandi:

Aqueça o caldo até ferver e despeje a polenta lentamente, misturando sempre. Adicione a salsinha, o sal e a pimenta e continue mexendo por mais uns 2 minutos. Desligue o fogo, transfira a mistura cuidadosamente para uma assadeira. Deixe descansar por uns 10 minutos para absorver todo o líquido e coloque a assadeira na geladeira por mais uns 20 minutos para solidificar.

Corte a polenta em retângulos, como nas fotos, e com a ajuda de uma espátula coloque-os cuidadosamente na grelha pra dourar. Polvilhe um pouquinho mais de sal e pimenta por cima, se necessário.

Nas fotos ela aparece servida com uma saladinha de grão-de-bico, pimentão vermelho e pedacinhos de seitan frito.

Boa sexta!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Pelo fim dos testes em animais


O livro "Alternativas ao uso de animais vivos na educação" do autor Sérgio Greif, esgotado para venda, está disponível para download gratuito no site do Instituto Nina Rosa. Corre lá!

Sempre me perguntam o motivo pelo qual eu sou contra os testes em animais. Todo mundo acha que se é pelo bem da ciência, então esse "sacrifício" animal é justificável. Bem, não é. Há alternativas hoje em dia e tudo está bem explicadinho nesse livro. Faça o download gratuito agora e entenda.

sábado, 15 de outubro de 2011

"Mas comer ovos não mata, nem faz mal a bicho nenhum"

Engano seu. As granjas descartam ainda vivos (jogam no lixo ou amassam com um rolo compressor) os pintinhos machos, pois só interessam as fêmeas - por razões óbvias.


Uma só granja descarta aproximadamente 1.500 filhotes como este por dia. Quando você compra ovos ou come frangos, você financia este crime.

Valeu, Vista-se!

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Gazpacho, ¡que rico!

Perfeita para os dias de calor, essa sopa fria é típica da região da Andaluzia, na Espanha, mas também é comum em Portugal (no Alentejo e no Algarve), no México e em países da América Central. O Gaspacho é originalmente vegano, facílimo de fazer (o tempo de preparo é 5 minutos), delicioso, e você pode variar os ingredientes pra deixá-lo mais picante ou mais suave. Essa sopa sempre me lembra o clássico Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos do sensacional Almodóvar.

Eu estava doida pra usar nosso brinquedo novo, o Vitamix, um liquidificador extra-potente que faz TUDO o que você imaginar, desde sorvete a leite vegetal, cream cheese vegano, sopas, sucos, manteiga de amendoim, farinha de grão de bico... Mas você pode fazer Gaspacho num liquidificador comum.

Os ingredientes que usamos nessa receita (cortados em cubo, como na foto acima) foram: 1/2 pepino, 3 tomates, 1/2 pimentão de qualquer cor, 2 dentes de alho, 2 talos de aipo, 1 colher (sopa) de sumo de limão, 1/2 cebola, pimenta do reino, 2 colheres (sopa) de vinagre balsâmico, salsinha fresca, manjericão fresco.

Preparação: Ponha todos os ingredientes no liquidificador ou processador e bata tudo até virar uma sopa. Leve à geladeira por pelo menos uns 15 minutos.

¡Buen provecho!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Feliz Dia Mundial dos Animais!

Você é o que você come. Não adianta dizer que tem dó dos bichinhos, que tem um gato e um cachorrinho vivendo felizes na sua casa e que você os leva todo mês pra banho e tosa na petshop. Se você come a carne de bois, porcos, aves, peixes, e se você usa ovos e laticínios pra se alimentar, você não ama os animais. Você os explora cruelmente.

Claro que você não vai lá matar o bicho com suas próprias mãos. Você jamais faria uma coisa dessas, certo? Só que as indústrias por trás desse seu hábito, o fazem da pior forma possível. Não acredite em gado criado solto com comidinha orgânica; em galinhas "felizes" criadas soltas, em criações "sustentáveis" de peixes. Nenhum desses animais deseja morrer. Todos sentem dor, medo e querem preservar suas vidas tanto quanto você.

Os animais não podem pedir pra você, então eu faço isso por eles neste momento. Pare já de consumir produtos animais. Você pode fazer isso com uma facilidade incrível. Basta querer. Informe-se sobre maneiras saudáveis de se alimentar e pare de comprar couro, seda, lã e pele. Comece a mudar o mundo do jeito como você sabe que será melhor: sem violência. A violência começa por nós. Tire isso da sua vida e você vai ver como é bom sentir-se bem, saudável e de consciência limpa.

Os animais desse mundo estão sofrendo horrores neste exato momento, enquanto você lê essas palavras. Não participe mais disso. Não fuja da realidade e não tente se enganar, acreditando que não é tão ruim. É pior do eles deixam transparecer. Eu não vou publicar um video cheio de sangue e gritos neste post. Vou só pedir, em nome dos animais, que você acredite no que eu digo. Mude isso. Você pode. Aí sim, diga que é contra a violência, que tem dó dos bichos, que AMA os animais.

Tenha integridade. Faça a diferença. Seja vegano. Pelos animais e pelo planeta. Sempre.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Cara nova

Este blog está passando por algumas mudanças, revisões e atualizações, e já já volta com novidades. Agradeço a paciência dos leitores.

Enquanto isso, eu gostaria de poder convidá-los a ler o meu outro blog, o Animalista, mas infelizmente o Portal MTV tirou o blog do ar há alguns meses sem ao menos me informar que isso iria acontecer. A sorte é que ainda tenho os rascunhos dos posts que publiquei e em breve vou repostá-los aqui. Muito triste essa falta de consideração e de educação. Se eu tivesse grana para processá-los, com certeza o faria.

Abraços e até breve...

domingo, 28 de agosto de 2011

Milkshake de Óreos

Oreo é um cookie de chocolate recheado com creme,  tipo sanduíche, super famoso aqui nos Zuza. Apesar de ser vegano eu raramente compro porque é muito doce e eu nem sou tão chegada assim em chocolate. Mas dessa vez não resisti e criei um milkshake de oreos que ficou maravilhoso. Nem sei há quantos anos eu não tomava um milkshake. :)


Ingredientes:

1 xícara de leite vegetal (usei leite de arroz)
1 xícara de sorvete de chocolate (usei o sorvete que fizemos outro dia, com leite de côco)
1 banana
6 oreos

Modus operandi:

Bata tudo no liquidificador e delicie-se. Rende 2 copos cheios.



segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Twitaço em protesto à Festa do Peão de Barretos

O VegTemas está convidando todos os ativistas pelos Direitos Animais a participarem do Twitaço marcado para amanhã, terça-feira (dia 23/08), em protesto à festa do Peão de Barretos.

A manifestação digital ocorrerá a partir das 19hs. O twitaço dura enquanto os particpantes tiverem energia pra postar suas mensagens de protesto.

Via Vista-se.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Cocoa V

Só chocolates e vinho. Só??? Tudo vegano e orgânico. É isso. Corre pra lá.

Cocoa V
174 9th Avenue
New York, NY 10011
(212) 242-3339


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Seitan caseiro preparado com farinha comum


Esse video é bem explicativo (em inglês) e ensina como preparar seitan do jeito antigo, sem a farinha especial de glúten que hoje felizmente já existe no mercado. Dá trabalho, mas o resultado e o sabor ficam do jeito que você quiser. E tambem é uma alternativa excelente pra quem não tem como comprar a farinha de glúten (aqui chamada de "Vital Wheat Gluten").

Via What the hell does a vegan eat anyway?

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Nhoque ao molho de tomate e castanha de caju

Essa é pra reservar para comer no dia 29, o dia do nhoque da sorte. Ou não. :) Qualquer dia é dia de nhoque, na verdade, né? Tão gostoso e fácil de fazer. Principalmente no inverno. 

Ingredientes do Nhoque:

2 batatas grandes
1 xícara de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de manjerição seco
2 colheres (sopa) de orégano seco
1 colher (chá) de sal marinho
1/2 colher (chá) de alho em pó

Para o molho:

1 lata de molho de tomate
2 colheres (sopa) de manjericão (nós usamos fresco, picado )
1/2 xícara de leite vegetal (nós usamos leite de arroz)
Não consta dessa receita, mas nós adicionamos 1/2 xícara de castanhas cruas que tinham ficado de molho na noite anterior. Descarte a água - use só as castanhas. Elas deixam o molho ainda mais cremoso.

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 200 graus Celsius. Lave e escove as batatas, e faça vários furos nelas com um garfo. Coloque-as numa fôrma e asse por 1 hora. Retire-as do forno e descasque. Amasse-as numa tigela até que fiquem sem bolotas (ou quase sem).

Em outra tigela, coloque a farinha, o manjericão, orégano, sal e alho. Misture bem e abra um buraco no centro da mistura. Coloque o purê de batatas ali no meio e devagarinho vá incorporando ao resto até formar uma mistura macia. Acrescente um pouco mais de farinha se for preciso.

Polvilhe uma superfície com um pouco de farinha pra enrolar a massa; use um pedaço da massa de cada vez. Enrole esse pedaço como se fosse uma corda grossa. Corte em pedaços pequenos (de nhoque). Agora você pode modelar o nhoque, apertando a pontinha e marcando em cima com um garfo.

Num panela grande com água já fervendo e sal, coloque os nhoques em punhados pra cozinhar. Retire-os com uma escumadeira assim que vierem à superfície. Mantenha-os aquecidos numa tigela dentro do forno.

Enquanto isso, bata no liquidificador o molho de tomate, o majericão, leite vegetal e castanhas de caju e transfira essa mistura pra uma panela. Deixe aquecer em fogo baixo até comecar a borbulhar. Adicione mais leite e/ou castanhas, se quiser um molho mais leve/cremoso. Sirva sobre o nhoque.

Aqui está a receita original (sem a castanha de caju).

terça-feira, 26 de julho de 2011

Excelente palestra de Gary Yourofsky - não deixe de assistir!


É longa, mas vale a pena. Assista aos poucos se não tiver tempo, mas não deixe de assistir. Em inglês, com legendas em português.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Férias

O blog anda de férias, por isso o sumiço. Mas eu não abandonei, não. Já já voltaremos à nossa programação normal. :) Abraços!

domingo, 26 de junho de 2011

Notícias do mundo de lá

China:
Os 300 zoológicos do governo chinês não têm mais permissão pra vender animais vivos, como galinhas, cabras e cavalos, para convidados assistirem-nos serem devorados por leões ou tigres. Os zoológicos agora também estão proibidos de vender carne de animais exóticos em seus restaurantes.

Rússia:
Depois do sucesso da Campanha do Urso Polar, a Rússia concordou em banir a caça ao urso polar até o final do ano. Os Estados Unidos e a Rússia têm um acordo de só caçar 29 ursos por país, mas a Rússia decidiu abrir mão desse número. Atualmente, a população de ursos polares na região do Estreito de Bering é de aproximadamente 2.000 animais.

Cingapura:
Um restaurante de fast food chamado Vegan Burg acaba de abrir sua primeira locação em Cingapura. Com um cardápio muito comum nos EUA - variações de hambúrguers como Tangy Tartar e Cracked Pepper Mayo - a companhia espera começar em breve uma franquia.

Alemanha:
No início do ano houve um protesto em Berlim por práticas agrícolas melhores. Mais de 15 mil pessoas foram às ruas protestar contra fazendas industriais e o uso de organismos geneticamente projetados. A passeata, que foi a maior desse tipo na Alemanha, coincidiu com a International Green Week (algo como "Semana Verde Internacional"), uma exposição agrícola anual em Berlim.

Reino Unido:
O departamento de ciência do Reino Unido lançou um relatório entitulado "Foresight. The Future of Food and Farming (2011)" (em português seria: "Previsão. O futuro dos alimentos e da agricultura"). O relatório discute a produção global de alimentos e recomenda a redução no consumo de carne, prevendo que a demanda por carne em países como o Brasil e a China vai afetar significativamente a economia global de alimentos. O relatório ainda afirma que os governos federais deveriam usar a preocupação ambiental e da saúde para convencer seus cidadãos a diminuir o consumo de carne.
 

*Informações obtidas nos dois exemplares recentes da Revista VegNews.

------------

O veganismo e a liberdade para os seres não humanos, infelizmente, vai caminhando a passos de formiguinha nesse mundo. Mas a boa notícia é que a coisa vai. Devagar, mas vai. É importante que a gente não desista e que continuemos espalhando informação e mostrando através do exemplo que o veganismo não só é possível como é fácil e gostoso - e também a única solução possível para o fim da exploração e da violência contra os animais. Um dia a gente chega lá...

domingo, 19 de junho de 2011

Patê de seitan

Esse é um patê do tipo "patê de atum" ou "sanduíche natural de frango". Mas é vegano, claro, e delicioso. A Receita é do livro The Urban Vegan e a própria autora me autorizou a traduzir e postar a receita aqui, então vamos lá.

Ingredientes:
  • 1 xícara de seitan preparado no estilo "frango" (sugestão de preparo caseiro no final deste post)
  • 3 colheres (sopa) de maionese vegana
  • 3 colheres (sopa) de cenoura ralada
  • 2 colheres (chá) de picles picados bem fininho (aqui chama-se "relish")
  • 1 cebolinha picada
  • 1 tampinha de vinagre de maçã
  • 1/4 de colher (chá) de xarope de bordo, agave nectar ou xarope de arroz integral - no Brasil dá pra usar açúcar demerara ou mascavo
  • sal e pimenta a gosto
  • 1 pitada de mostarda (opcional)
Misture tudo no processador até formar um patê. Não deixe ficar uma pasta muito fina, a mistura fica melhor com pedacinhos bons de mastigar, como na foto acima.


Essa receita rende de 3 a 4 porções. Dá pra usar em canapés, sanduíches como os da foto (bons de levar pro trabalho e comer na hora do almoço), wraps, saladas, etc.

COMO PREPARAR SEITAN ESTILO "FRANGO" PARA PATÊ - traduzida do original por mim.

Ingredientes da massa:

3/4 de xícara de farinha de glúten
1/4 de xícara de farinha de grão de bico
1 xícara de água
1 colher (chá) de molho de soja
1 colher (sopa) de caldo de legumes em pó

Ingredientes do caldo:

1 xícara e 1/2 de água
1 colher (sopa) de molho de soja
1 colher (sopa) de caldo de legumes em pó

Pré-aqueça o forno a mais ou menos 160 graus Celsius. Misture as farinhas, água, molho de soja e tempero em pó até formar uma massa. Trabalhe essa massa com as mãos (ou num processador) por uns 10 minutos. Coloque essa massa sobre uma fôrma de pão, untada levemente com óleo. Misture separadamente a água, molho de soja e tempero em pó pra fazer o caldo. Despeje sobre a massa. Cubra a assadeira com papel alumínio e asse por uma hora. Descubra, vire a massa, cubra de novo com papel alumínio e asse por mais uma hora. Leve à geladeira pra esfriar e também pra que o seitan fique mais firme.

sábado, 11 de junho de 2011

Sacred Chow



Mais um dos meus restaurantes favoritos em Nova York. Sacred Chow é um bistrô vegano pequenininho, tem só 10 mesas, mas é um espetáculo. TUDO o que eles servem é delicioso. É especializado em tapas, porções pequenas variadas.

Me encontrei com uma amiga lá hoje na hora do almoço e experimentei o brunch deles. Pedi o famoso biscuit com margarina vegana, café (claro) e uma porção de filés de tempeh pra acompanhar. Um absurdo. Minha amiga ficou com o sanduíche de scrambled tofu servido no biscuit com tempeh bacon e uma salada pra acompanhar.Yummy.

Sacred Chow
227 Sullivan St # 1
New York, NY 10012-4803
(212) 337-0863

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Risotto de quínoa com aspargos

1. Misture numa tigela uma cebola pequena picada, 4 dentes de alho, um talo de aipo picado, meio pimentão vermelho picado. Separe.

2. Torre 1 xícara de quínoa numa panela até dourar. Adicione um punhado de cuscuz (marroquino), doure mais um pouquinho. Acrescente 2 xícaras e 1/2 de caldo de legumes e um punhado gordo de salsinha fresca picada. Deixe ferver, diminua o fogo e deixe cozinhando - leva uns 10 minutos pra absorver o líquido e ficar pronta.

3. Enquanto isso, salteie numa panela a mistura que eu falei lá em cima no número 1, em azeite de oliva, até a cebola ficar transparente e começar a dourar. Adicione 2 xícaras de aspargos frescos cortados em pedaços pequenos como nas fotos (descarte as pontas grossas e separe as pontas finas pra depois). Misture tudo e salteie mais um pouco até amaciar os arpargos. Quando a quínoa que estava cozinhando separadamente (número 2) estiver pronta, transfira para a panela onde você está salteando os aspargos. Adicione 1/2 xícara de caldo de legumes (ou água), misture tudo, diminua o fogo e tampe por 5 minutos. Pronto!


Sirva uma porção pequena do risoto no meio do prato e guarneça com as pontas finas dos aspargos.

Delícia de comidinha 100% vegana: sem nenhum ingrediente animal, sem gordura ruim, livre de colesterol, sem soja e sem glúten. Bom apetite!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Brasil: Pecuária e Meio Ambiente

O Brasil é a oitava maior economia mundial e tornou-se uma potência agrícola. É líder mundial em exportações de carne bovina, vitela e frango, e é o quarto maior exportador global de carne suína. Isso está destruindo a Amazônia e o cerrado brasileiros.
Eu fiz a narração do vídeo abaixo (em português) para a Brighter Green, uma organização de ação de políticas públicas com sede aqui em Nova York, que estuda a mudança climática e os efeitos da expansão e da intensificação do setor da pecuária no uso de recursos naturais, segurança alimentar, sustentabilidade e bem-estar animal no Brasil. Por favor, assista e divulgue.


Seja vegano, pelo planeta, pelos animais e pela sua saúde.

sábado, 14 de maio de 2011

Forks Over Knives


Em português, a tradução seria algo como "Garfos em vez de Facas". Finalmente assisti esse fime no cinema semana passada. Aqui está o trailer (no original, em inglês). Todo mundo precisa ver. É sobre saúde e como a sua comida influencia a sua saúde - ou a falta dela.

sábado, 7 de maio de 2011

Babycakes NYC

Docinhos, cookies, muffins, cupcakes, bolos, tortas, sucos, cafés, chás, brownies... TUDO vegano.

Tem com ou sem glúten, com ou sem açúcar, com ou sem castanhas, com ou sem soja...

Mesmo pra quem não liga pra doces ou chocolates e odeia bolo, como eu, o lugar é um mini-paraíso.
"Mini" porque é pequenininho. Mas é DEMAIS.

Em Nova York, fica no número 248 da Broome Street (entre as ruas Orchard & Ludlow). E já abriu uma filial em Los Angeles e outra na Disney da Florida. Vá.

domingo, 24 de abril de 2011

Bolinhos de carne de siri (veganos, claro)

Quando o tempo começa a esquentar, bolinhos veganos de carne de siri são uma ótima pedida, seja como aperitivo ou prato principal. Essa receita é original e sempre faz sucesso aqui em casa. :)

Ingredientes:
  • 2 latas de feijão branco, drenado e limpo
  • 1/2 xícara de cebola picada
  • 1/2 xícara de pimentão vermelho picado
  • 4 dentes de alho picados
  • 1/2 xícara de aipo picado 
  • 1 colher (sopa) de salsinha picada
  • 1 colher (sopa) de maionese vegana
  • 1 colher (chá) de sumo de limão
  • 1 colher (sopa) de cenoura ralada (opcional)
  • Misturinha pra empanar: farinha de milho, sal, pimenta-do-reino e uma pitada de páprica
Numa frigideira, aqueça um pouco de azeite e adicione a cebola, o alho e o pimentão vermelho. Deixe dourar, mexendo sempre. Enquanto isso, amasse o feijão branco com um garfo ou um amassador de batatas, numa tigela média. Transfira o conteúdo da frigideira para a tigela, e também todos os outros ingredientes (exceto a mistura pra empanar) e misture muito bem. Enrole os bolinhos com as mãos e passe-os na mistura de farinha de milho. Frite-os em azeite ou óleo de cártamo e sirva sobre uma salada de espinafre, cenoura ralada, brotos de feijão e rabanetes. Ou prepare a sua salada favorita.

Dependendo do tamanho que você formar os bolinhos, rende 6 ou 7.

Coma sem culpa. Nenhum animal foi ferido, explorado ou morto na preparação desse prato delicioso! :)

E Boa Páscoa!

domingo, 10 de abril de 2011

NY Dosas

No Greenwich Village, na ponta sul do Washington Square Park, em meio ao campus da NYU, tem um carrinho de comida indiana totalmente vegana, acredita? Thiru Kumar é o dono e cozinheiro. Ele tem um ótimo astral, está sempre com esse sorrisão da foto. A especialidade dele é um crepe vegano do sul da India, chamado dosa, cujos ingredientes são arroz e lentilha. O prato mais popular do carrinho chama-se Pondicherry (foto abaixo). O crepe é recheado com batatas ao curry e misturado a cenoura e pimentão, tudo preparado na grelha, e você pode pedir o molho de acompanhamento doce ou apimentado.

O prato principal vem acompanhado de um potinho de sopa de lentilha super apimentada. Thiru também vende samosas, rolinhos veg, roti ao curry, etc. Tudo vegano e super saudável. E eu mencionei delicioso? Você pode pedir na caixinha pra viagem ou no prato.

Quando vier a Nova York, não deixe de experimentar essa comida vegana típica da India. Sente-se na grama do Washington Square Park, relaxe ao sol num dia geladinho de primavera ou outono (porque eu não aguento o verão daqui) e saboreie as delícias que o Thiru faz.

NY Dosas
50 Washington Square South
(West 4th Street com a Sullivan Street)
De Segunda a sábado, das 11 às 4
Pra saber se ele vai estar lá, é só ligar: (917) 710 2092
Página no Facebook.

Posts similares

Related Posts with Thumbnails