segunda-feira, 16 de junho de 2008

Hora do lanchinho - Hummus

No final de semana, em casa, sempre bate aquela fome no meio da tarde. Durante a semana também, claro, mas no trabalho eu simplesmente como uma fruta ou um punhado de frutas secas ou castanhas (amendoins, nozes ou amêndoas). Mas em casa, quando se está de bobeira, dá pra elaborar, né?!

Hummus é um campeão, em casa. R prepara sempre e deixa na geladeira, pra quando bater a fome fora de hora. Dessa vez, servimos com cenouras cruas e fatias de uma baguette delícia, feita com gergelim, que compramos sábado no Farmer's Market- a feirinha livre perto de casa. Como o nome diz, os fazendeiros/agricultores da região trazem suas coisas fresquinhas, orgânicas, homemade, pra vender na cidade grande.

Hummus:

* 1 lata de grão-de-bico escorrido e passado na água
* 2 dentes de alho descascados
* 1 colher de sopa de salsinha picada (pode ser desidratada)
* 4 colheres de sopa de azeite de oliva
* 4 ou 5 colheres de tahine - ou "tahini" (pasta árabe feita de sementes de gergelim)
* 2 colheres de suco de limão
* Sal a gosto

Bata tudo no processador por uns 3 minutos (começando pelo alho) ou até obter uma pasta homogênea.

Mergulhe no hummus o legume ou verdura que você quiser: cenoura, brócoli, couve-flor... Tudo cru. Hummus servido no pão sírio torrado também fica uma delícia.

Tahine caseiro:

Ingredientes:
- Sal a gosto
- 1 xícara (chá) de gergelim branco
- quanto baste de água morna
- 1 colher (chá) de óleo de gergelim

Modo de preparo:
Moa as sementes de gergelim com o óleo em um processador e vá adicionando a água e o sal até que fique macio.

5 comentários:

Luciana disse...

não faço, não, Déa.
esse eu compro pronto, mesmo.
olha, dá uma googlada ou vê no blog do PETA o barulho que a camiseta da Jessica Simpson está casando.
Por que? É vermelhinha e, na frente, está escrito: "Real girls eat meat".
Lembrei logo de você, claro.

Andréa N. disse...

Lu, eu também adoro as marcas de hummus que vendem por aí. O apimentado é meu sabor favorito. Hehe, eu tinha lido ontem sobre a Jessica Simpson. Até mostrei pro marido. Agora o PETA vai ficar no pé dela total, e com razão. Tem que apavorar uma criatura dessa, né?! Obrigada pela lembrança! :)

Lucia Malla disse...

Ah, Andréa, vc salvou minha pátria com esse tahine caseiro. Pq a gente só acha pra comprar tahine apimentado aqui, e eu sou alérgica a pimenta. E hummus sem tahine não dá. :D

Muitíssimo obrigada pela receita - simples e eficiente! Já vamos amanhã mesmo testar, hehehehe!

Beijos.

Andréa N. disse...

Lucia, que bom! Depois me conta! Beijos.

Edu disse...

Olá. Estariam abertos para alguns comentários? Se possível sem as reações emocionais? Afinal temos uma razão, certo? Sobre o amendoim: ele não é uma castanha como sugere um post aí em cima. É um legume; inadequado portanto ao consumo humano devido ao alto teor de lectinas e saponinas. Sobre o post que cita Alice Walker: raciocínio lento porém errado. Pela mesma lógica zebras não foram feitas para os leões, sapos não foram feitas para as cobras e assim por diante. É este raciocínio enviesado (com viés) usado para justificar alguma coisa. Vamos então demonizar todos os povos aborígenes? A lógica do "feito para" é inédita na natureza. Pensamento religioso; quase afirmando que alguma entidade está fazendo algo para. Não me entendam mal. Sou totalmente contra uso de animais em circos, em experimentos "científicos", como bichos de estimação (exceto animais resgatados e sem opção melhor) e tudo o mais que seja somente em nosso benefício. Salvamos uma cadelinha da estrada ainda no Brasil e a trouxemos com uma das filhas para o Canadá. Salvamos e encaminhamos para adoção 12 cães de rua em um ano, apoiamos com $ e doações 2 ONGs "animais de rua" em Porto Alegre. Abandonei a medicina alopática em parte por ter sua base de conhecimento em cima do sofrimento de animais. Mas infelizmente a genética humana é de caçadores coletores. Frutas, oleaginosas, tubérculos (batata fora), carnes, ovos, vegetais e fungos. LEite e derivados fora, tb. E a dieta vegetariana não é saudável fisiologicamente (têm várias referências sobre isto). Mesmo considerando o meio ambiente. Quanto de extensão de terra teríamos que desmatar numa situação de maioria vegana? Quanto de herbicidas, fungicidas? Recupera-se o investimento energético na produção de vegetais? De onde vem a necessária e verdadeira (não o análogo) vitamina B12? Tampouco concordo com o atual sistema industrial de produção de carne. Defendo a criação com condições de vida decentes. Pasto natural, vida livre, livre de violência. E, sim, tem gente demais no mundo. Lovelock já fala em no máximo 500 milhões de pessoas para que tudo seja sustentável. Estamos como aquele piloto num avião em queda antes de se esborrachar que fica comentando "por enquanto, tudo bem". Não sabemos as leis de como a natureza funciona, mas nos atrevemos a manipular tudo. A casa está ardendo aos poucos e boas intenções com esta deste blog são renovadoras, mas acho que uma sintonia fina é bem vinda.
Já que ninguém perguntou, sugiro:
"O dilema do onívoro"-Michael Polland; "Cachorros de Palha" - John Gray; Todos os livros do Daniel Quinn.
Saudações;
Eduardo.

Posts similares

Related Posts with Thumbnails