segunda-feira, 29 de junho de 2020

Pesto de rama de cenoura

Ingredientes:

Rama de 1 ou 2 cenouras
2 colheres (sopa) de tahine
Sal a gosto
3 colheres (sopa) de azeite
1 dente de alho
Um pouco de água filtrada

Preparo:

Bata todos os ingredientes juntos no liquidificador.
Leve à geladeira por 1 hora antes de utilizar.

Vai bem com massas, torradas e batata doce.



Como você viu, a receita é muito simples e o resultado fica bem gostosinho.
Eu acho uma delícia poder aproveitar tudo e não criar (mais) lixo ou desperdiçar ingredientes.
Peguei a receita aqui. Acrescentei um pouco de água por conta própria.




quinta-feira, 14 de maio de 2020

Jantar indiano caseiro

Eu sempre tenho em casa os temperos indianos usados nessa receita porque é o que mais uso na cozinha. Meus pratos favoritos são os asiáticos e do Oriente Médio, então usei o que tinha. Mas neste momento, em que estamos em casa de quarentena por causa da pandemia do coronavírus, creio que podemos pedir pela internet ou por telefone do mercado asiático mais próximo.
 
A receita do naan, o pão indiano, é simples e saiu de improviso. Rende uns 4 naans. Mais ou menos 250g de farinha de trigo, pitada de sal, ½ colher (chá) de fermento biológico (aquele que vende no mercado e vem em sachezinho). Misture tudo, adicione mais ou menos 150ml de água morna e 2 colheres (sopa) de azeite.



Faça uma bola com a massa, trabalhe-a um pouquinho com as mãos e deixe-a descansar em uma tigela coberta com pano de prato por umas 4 horas. Divida a massa em 4 bolas, estique cada uma com a ajuda de um copo e ponha em uma frigideira quente - uma de cada vez. Ela vai fazer umas bolhas e dourar um pouquinho. Pronto! Fica bem macia, como o naan deve ser. Eu deixei bem fina dessa vez (até sobrou massa), mas o naan é mais gordinho, geralmente. 


Bateu uma saudade da Índia, agora...


 

Corte em cubos os vegetais que tiver em casa. Eu tinha duas batatas inglesas orgânicas pequenas, uma batata doce e meia cenoura. Salteie cebola e alho em um pouco de óleo de coco. Diminua bem o fogo e adicione uma colher (sopa) de curry em pó, 1 colher (chá) de garam masala, 1/2 colher (chá) de cominho em pó, pitada de sal, 1/2 colher (chá) de páprica defumada. 




Misture muito bem, deixe os sabores se soltarem ao calor da chama e adicione as batatas (brócolis, couve-flor e grão de bico cozido também ficam perfeitos nessa receita). A cenoura eu ralei por cima de tudo. Acrescente duas colheres (sopa) de água e misture tudo muito bem. Deixe cozinhar até as batatas amolecerem o tanto que você gosta, uns 5 minutos deve dar. 

Namastê!

terça-feira, 14 de abril de 2020

Ora-pro-nóbis

Ela é uma PANC (planta alimentícia não convencional) considerada um superalimento, apesar de não ser superconhecida ainda.

Riquíssima em proteínas e ferro, ela tem a capacidade de combater a anemia e é geralmente comparada ao espinafre por sua textura e sabor, mas tem 20 vezes mais proteína que o próprio espinafre, portanto é um excelente substituto para quem ainda come carne e quer ou precisa reforçar o consumo de proteínas. Há quem a chame até de "bife de pobre" por ser extremamente proteica e muito barata.

Estudos também comprovam que ela é ótima no tratamento de doenças inflamatórias da pele.

A ora-pro-nóbis tem propriedades antioxidantes, é fonte rica de ácido fólico, auxilia na diminuição do colesterol ruim, auxilia na hidratação da pele e combate o envelhecimento precoce.

Ufa! É muita coisa pra uma plantinha só, né? Por isso, plantei no meu jardim...



Há várias formas de preparar a ora-pro-nóbis, esta é apenas uma delas: lave bem as folhas, cuidando pra não se machucar com os espinhos do caule, pique (ou não) e refogue em pouco azeite (ela tende a absorvê-lo e pode ficar muito oleosa) e junte alho picado.

Ela solta uma leve baba, no mesmo estilo do quiabo (talvez um pouco menos), mas é muito saborosa. Procure na feira do seu bairro, nos distribuidores de orgânicos ou peça aos amigos que têm horta. =)


terça-feira, 10 de março de 2020

Mel? Não, obrigada.

Caramba, fazia um tempão que eu não postava. Tinha esquecido o endereço de email associado a essa conta do Blogger, depois esqueci a senha... enfim. Voltei! E queria divulgar esse videozinho inteligente e importante sobre o consumo de mel. Ninguém, além das abelhas, precisa dele pra viver. E nós precisamos e MUITO das abelhas pra viver, então a escolha é simples, não?


sábado, 26 de janeiro de 2019

Mujaddara


Mujaddara ou Mjadra  é um prato da culinária árabe, delicioso e muito simples, que consiste em lentilhas, arroz e fatias de cebola fritas. 

Vamos lá:

Arroz

Lentilha
1 tomate, cebola, batata e cenoura - cortados em cubinhos pequenos
Alguns dentes de alho picados
2 colheres (sopa) de azeite de oliva

Sal
Cominho e/ou chili em pó
Cebola fatiada para a guarnição
 

Numa panela grande, cozinhe a cebola em azeite até ficar translúcida. Adicione o alho, o tomate, a batata, a cenoura, sal a gosto e 1 colher (chá) de cominho ou de chili em pó (e quaisquer outras ervas ou especiarias do seu gosto). Misture bem.

Adicione 1 xícara de lentilhas lavadas e escorridas, 2 xícaras de água e deixe o fogo alto até começar a ferver. Cozinhe em fogo brando por 10 minutos.

Acrescente 1 xícara de arroz branco lavado e escorrido, mais 2 xícaras de água e aumente o fogo só até começar a ferver. Cozinhe em fogo brando até perceber (com a ajuda de uma colher ou garfo) que a água já foi e o arroz e as lentilhas estão tenros e no ponto.

Guarneça com fatias de cebola fritas no azeite.


Receita e foto: Rich Nichols 

domingo, 13 de janeiro de 2019

Filé de peixe feliz


Como sempre digo aqui no blog, o peixe é feliz porque está vivíssimo, lá no mar, nadando. Esse aqui é um filezinho totalmente vegetal. D.E.L.I.C.I.O.S.O. e muito simples de fazer.

Peguei a receita inteirinha com as Viewganas.

Ingredientes:
  •  200g de cogumelo shimeji branco (o equivalente a uma cartela)
  • 1/4 de xícara de farinha de trigo (para misturar ao cogumelo)
  • Farinha de trigo suficiente para empanar
  • Sumo de 1/2 limão
  • 1/2 colher (chá) de pimenta do reino branca
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1/2 dente de alho picado (opcional)
  • óleo vegetal para fritar (usei o de girassol)

Preparo:

Assista o vídeo das Viewganas porque é bacana e elas dão dicas enquanto preparam. Basicamente, é o seguinte: coloque o cogumelo, farinha de trigo, sal, pimenta e sumo de limão no processador. Bata um pouco, é rapidinho. Não bata demais senão vira uma papa. Modele os filés com MUITO cuidado porque a massa é bem mole mesmo e pode quebrar facilmente. Minha dica é molhar as mãos. Aí, empane também com cuidado e, com a ajuda da espátula que você vai usar para fritar, coloque cada filezinho na frigideira que já deve ter bastante óleo e estar BEM quente. Frite dos dois lados até dourar. Voilá!

Dica pessoal: lascas de alga marinha vão muito bem aqui, acrescentam um gostinho de maresia.

Na minha opinião, esse prato é ótimo porque representa bem o que a gente gosta de mostrar no veganismo:
  1. Qualquer prato da culinária tradicional brasileira pode ser veganizado.
  2. Não precisa necessariamente ser industrializado, muito menos vendido em supermercados por um preço absurdo.
  3. É gostoso e nutritivo.
  4. É versátil. Pode ser servido como aperitivo, acompanhando uma cervejinha, pode surgir num jantar chiquérrimo, servido com arroz e purê, e pode até virar um sanduba sensacional. 
  5. Demonstra, mais uma vez, que ao se tornar vegana a pessoa não está abrindo mão de nada. Ao contrário, ela é apresentada a novos e incríveis sabores.
Agora, seja educade e não pergunte se esses filés têm sabor igual ao animal que é geralmente morto com a boca ensanguentada e/ou asfixiado.

Apesar da aparência bem aproximada, esse prato é só uma isca, haha, pra você deixar o preconceito de lado e experimentar as delícias da cozinha vegana.

Não vai ter o mesmo sabor. Vai ser melhor - na sua boca, no seu estômago e na sua consciência. Eu GARANTO.

Feliz Ano Novo! 


quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Quiabo frito na Air Fryer


 Eu nunca gostei de quiabo. Sempre achei uma coisa gosmenta e nojenta, sendo bem sincera. Mas ganhei quiabo orgânico e resolvi encarar o desafio. E não é que ficou bom?

Além disso, o quiabo tem vitamina K, vitamina C, vitamina E, ácido fólico, riboflavina, manganês, cobre, ferro, fósforo, cálcio, zinco e selênio. Ajuda na saúde cardiovascular e é ótimo para os diabéticos.




Então, preconceitos à parte, quiabo é um legume (ou fruto, se você preferir) incrível e, pode sim, ficar delicioso. A receita abaixo foi inspirada na original Air-Fried Okra, da incrível Bianca do blog Vegan Crunk. Os ingredientes extras, são ideia minha.

Vamos lá...

Quiabo Frito
Rende 2 porções




Ingredientes:
  •  20 vagens de quiabo fresco, fatiadas (usei o quiabo orgânico que ganhei)
  • 2 colheres (sopa) de pó substituto de gema de ovo (eu tinha ainda as sobras de Vegan Egg que ganhei há alguns meses)
  • 1/2 xícara de água gelada
  • Sal a gosto (usei sal defumado)
  • 2/3 de xícara de farinha de rosca
  • Um pouquinho de levedura nutricional (opcional - eu usei a marca Bionetic sabor bacon, vendida no Brasil)
  • Páprica defumada a gosto
  • Um pouquinho de azeite de oliva

Modus operandi:

Em uma tigela pequena, misture o pó substituto de ovo, a água e o sal até engrossar. Use um fuê.

Despeje a farinha de rosca em uma tigela separada, junte a levedura nutricional e a páprica.

Coloque o quiabo na mistura do substituto de ovo, água e sal e misture bem até que fique tudo bem coberto e, em seguida, transfira o quiabo para a tigela da farinha. Adicione um pouquinho de azeite e misture bem.

Coloque o quiabo na cesta da air fryer. Aqueça em 200 graus por 10 minutos. Mexa/Chacoalhe. Aqueça por mais 10 minutos ou até que fique dourado e crocante.

É isso. Além de super nutritivo, ele pode sim ficar gostosinho e NADA gosmento. Dê uma chance a ele. Esta vegana que vos escreve, depois de 10 anos de veganismo, continua descobrindo sabores incríveis e alimentos saudáveis. Isso é demais. E nunca acaba. Juro.

Bom apetite!

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Loving Earth Yoga & Cafe - Fort Kochi, Índia

Mais uma descoberta deliciosa durante a minha viagem à Ásia em outubro: Loving Earth Yoga Cafe. 

Esse restaurante simples e aconchegante fica no sul da Índia, mais precisamente em Fort Kochi, no estado de Kerala.

Chegamos ali por acaso, procurando onde almoçar num dia de calor escorchante. Que descoberta deliciosa!

O local é temporário, disseram as meninas. Siga a página no Facebook para saber onde estarão quando você for conhecer.

Comida mais que deliciosa, 100% vegetal, atendimento super simpático e preços acessíveis.


Experimentamos os Nachos, o Hummus e duas sobremesas de encher a boca de água só de lembrar. Acho que as fotos falam por si.


Quando estiver no sul da Índia, não deixe de conhecer esse lugar, que abriu há poucos meses, e aproveite para fazer uma aula de yoga (antes de encher a pança com as guloseimas, claro).
 



Loving Earth Yoga Cafe
1/839 Quiros Street, Fort Kochi, KL
682001, India
Email: info@lovingearthyogacafe.com


Desejo sucesso e vida longa ao Loving Earth! 💟




sábado, 3 de novembro de 2018

Loving Heart (Kathmandu, Nepal)


Mês passado fiz uma viagem longa pela Ásia e alguns restaurantes me chamaram a atenção. Um deles foi esse, no bairro descolado Thamal, na colorida Kathmandu. O vegano Loving Heart.

Fiz a descoberta através do Happy Cow, que eu sempre uso e recomendo. Esse site/mecanismo de busca é uma mão na roda para encontrarmos restaurantes ou opções veganas pelo mundo.

O atendimento no Loving Heart é impecável, o restaurante é simples, bonitinho, confortável e muito limpo. O pessoal é simpático e faz tudo para que os clientes se sintam à vontade, sempre com um sorriso no rosto (mas isso é bem comum entre o povo nepalês). A comida nepalesa é gostosa e os preços são ótimos quando comparados à nossa moeda. No Loving Heart isso não foi diferente.

Eu e dois amigos (onívoros) comemos muito bem. Pedimos várias porções e dividimos entre nós para poder experimentar sabores variados. A comida nepalesa tende a ser apimentada (mas não tanto quanto na Índia). No Loving Heart, você pode pedir que tudo seja mais ameno (preferência da minha amiga) e eles atendem.



Entre os pratos que experimentamos estão os Momos (dumplings da foto acima), Seitan (última foto deste post), Falafels (foto abaixo) e Ginger "Fish" (ao lado). Amei tudo, mas sou suspeita. Me derreto quando encontro restaurantes veganos durante as viagens. Meus amigos, totalmente isentos nessa história, amaram também e nem vegetarianos são.






Loving Heart é o primeiro restaurante 100% vegano de Kathmandu e está de parabéns! Já sinto saudade da comidinha saborosa e do ambiente acolhedor.

O cardápio deles é variado. Tem pra todos os gostos. Dê uma olhada clicando no nome abaixo.

LOVING HEART
Z-Street, Kathmandu, Nepal

Voltei apaixonada pelo Nepal e com certeza a experiência no Loving Heart foi parte do que me cativou nesse país.

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Feliz Dia Mundial Vegano!

O meu muito obrigada a todos os que fazem a sua parte na tentativa de transformar o planeta num lugar mais ético e pacífico e lutam diariamente contra a fome, a destruição das florestas, poluição, desperdício, preconceitos, racismo, misoginia, homofobia, xenofobia, fascismo, especismo e violência contra humanos e não-humanos.

Feliz Dia Mundial Vegano! 

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Salada Mexicana de Quínoa

Não se preocupe se você não entende inglês. O vídeo é bem demonstrativo.


terça-feira, 17 de julho de 2018

Exportando Vidas

"Exportando Vidas" é um curta-metragem (15 minutos) que apresenta aspectos ambientais, sanitários, econômicos, jurídicos e éticos a respeito da exportação de animais vivos.

Realizado por Nação Vegana Brasil, com imagens coletadas por diversos ativistas pelos direitos animais. Clique aqui para assistir e, por favor, ajude a divulgar.




quinta-feira, 21 de junho de 2018

Fartura no inverno: verduras, legumes e frutas da (nossa) época



  • Abóbora japonesa
  • Amendoim
  • Alho
  • Batata
  • Batata doce amarela
  • Batata doce rosada
  • Berinjela japonesa
  • Beterraba com folhas
  • Brócolis
  • Capim cideira
  • Cará
  • Cebola
  • Cebola roxa
  • Cebolete
  • Cenoura
  • Couve
  • Couve-flor
  • Erva doce
  • Ervilha
  • Ervilha torta
  • Gengibre
  • Hortelã
  • Inhame
  • Louro
  • Mandioca
  • Mandioquinha
  • Milho verde
  • Moyashi
  • Mostarda
  • Nabo
  • Pimentão verde
  • Quiabo
  • Rabanete
  • Tomate caqui
  • Tomate cereja 
  • Couve-de-Bruxelas
  • Palmito
  • Repolho
 

  • Abacate
  • Atemóia
  • Banana maçã
  • Carambola
  • Caju
  • Coco seco
  • Cupuaçú
  • Kiwi
  • Laranja Bahia
  • Laranja lima
  • Limão Tahiti
  • Maçã Fuji
  • Maracujá azedo
  • Maracujá doce
  • Mexerica
  • Morango
  • Nêspera
  • Laranja Bahia
  • Laranja lima
  • Limão Tahiti
  • Maçã Fuji
  • Maracujá
  • Mexerica
  • Morango
  • Tangerina
  • Uva Centenial
 Dê preferência aos orgânicos, seja vegano/a e use e abuse dessas delícias naturais!

Posts similares

Related Posts with Thumbnails